Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Festival Cenas Curtas comemora 20 anos com programação variada

Pioneiro no gênero, festival realizado pelo centro cultural do Grupo Galpão recebe 16 cenas de palco, quatro cenas-espetáculo, duas cenas de rua e seis rolês a partir de 24 de setembro em BH
Por Redação Feira Cultural

Mais antigo festival de teatro neste formato no país, o Cenas Curtas completa 20 anos com uma programação extensa e novidades. De 24 a 29 de setembro, o Galpão Cine Horto, os espaços parceiros do entorno e a Praça Duque de Caxias recebem seis rolês e 22 cenas de até 15 minutos de duração, além de debates, mostra de fotografias, intervenção sonora e da exibição de um doc que recupera os principais marcos destas duas décadas de história do festival.

“O Cine Horto sempre defendeu a continuidade das políticas públicas para a cultura como condição para se colher bons resultados. Ao longo dessas duas décadas, nos esforçamos muito para manter a regularidade das nossas ações. O Festival de Cenas Curtas é o melhor exemplo disso: vinte anos de realizações sem interrupção, com resultados importantíssimos para o teatro de BH e do Brasil. Um evento que faz parte do calendário das artes cênicas de grupos e de jovens artistas de todo o país”, destaca Chico Pelúcio, diretor geral do Galpão Cine Horto e um dos fundadores do Grupo Galpão.

O primeiro dia de festival será dedicado à Mostra Cena-Espetáculo, que reúne as quatro finalistas da Mostra Rascunho de Cena, uma seleção realizada por meio de edital, em julho. A melhor cena-espetáculo, no julgamento da curadoria, recebe R$ 10 mil de auxílio-montagem para desdobrar a ideia e seguir carreira com a peça.

A edição deste ano mantém o formato competitivo das Cenas de Palco, com 16 cenas apresentadas ao longo de quatro dias. As preferidas, pela votação do público, ganham novas datas para apresentações no Galpão Cine Horto e são convidadas a se apresentar em formato reduzido no La Movida Microteatro –numa mostra que pode incluir outras cenas, selecionadas diretamente pelo La Movida.

Na tarde seguinte de cada rodada de apresentações, críticos do portal Horizonte da Cena instigam artistas e público a refletirem sobre as montagens no Debate do Dia Seguinte. Para completar, os rolês esbanjam irreverência nos espaços parceiros do Corredor Cultural Leste, em diferentes linguagens artísticas. Realizadas desde 2016, as intervenções cênicas e/ou sonoras nos bares e casas noturnas do bairro foram criadas para demarcar a importância da estruturação de novos circuitos culturais, para além da região Centro-sul.

Este ano, os rolês serão realizados na Gruta, Zona Last e Santa, além da Rua Pitangui, com estéticas diversas que abordam temas como o direito à cidade, questões de gênero e identitárias. Os critérios norteadores para a seleção foram a diversidade de linguagens e a adequação ao espaço.

Esta edição comemorativa traz alguns diferenciais adicionais, com uma exposição especial do fotógrafo Guto Muniz (um dos maiores especialistas na fotografia de cena de Minas Gerais, que registra o festival desde o primeiro ano), uma instalação sonora do artista Vinícius Alves e a exibição do documentário “Cenas Curtas: 20 Anos”, de Marcos Coletta e Paula Dante.

No final de semana de encerramento, dois espetáculos de rua levam o 20º Cenas Curtas para a praça Duque de Caxias, em Santa Tereza –no domingo a atração é “Abre-Alas”, premiada com R$ 10 mil pelo Galpão Cine Horto por ter sido considerada a melhor cena do edital Montagem de Rua, na avaliação da curadoria.

“O festival insiste em levar o teatro para a rua por acreditar que, sem incentivo e politicas públicas, esse gênero de teatro não sobrevive. Acreditamos que o teatro de rua seja a melhor estratégia para a democratização e interiorização desta arte”, afirma Chico Pelúcio.

Na parte da noite, o último dia do festival foi reservado para celebrar o sucesso destas duas décadas de aventuras cênicas. Com apresentações do ator e cantor Marcelo Veronez e da DJ Fê Linz, a festa “Bug do Milênio! Eu Nasci Há 20 Anos Atrás! De 99 pra 2000 – Réveillon do Cine Horto!” faz uma viagem no tempo para lembrar a estética que embalava os tempos em que o festival nasceu.

Crédito da imagem em destaque:

Saiba mais em
(31) 3481-5580 | galpaocinehorto.com.br