Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Edição 2019 da Casacor Minas será realizada em setembro

Mostra, que será realizada no Palácio das Mangabeiras contará com 58 ambientes, assinados por 92 profissionais das áreas de arquitetura, design de interiores e paisagistas
Por Redação Feira Cultural

Os preparativos da 25ª edição da Casacor Minas, que será realizada entre de 3 de setembro e 13 de outubro, no Palácio das Mangabeiras, seguem em ritmo acelerado. Prova disso, é que as obras de montagem dos 58 ambientes, que serão assinados por 92 profissionais das áreas de arquitetura, design de interiores e paisagismo, foram iniciadas no mês de julho.

O tema que será apresentado neste ano será “PLANETA CASA”. A ideia por trás desse conceito é fazer com que os frequentadores tenham uma reflexão sobre como a nossa relação com o mundo influencia o nosso jeito de morar. O local escolhido para sediar a maior mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo do estado foi o Palácio das Mangabeiras, imóvel tradicionalmente utilizado como residência pelos governadores de Minas.

Outras novidades interessantes acontecerão durante a mostra, como a abertura para visitação ao palácio do governo e o início do projeto de restauração do Jardim de Burle Marx, assinado por Nana Guimarães.

“Estamos radiantes com a oportunidade de comemorar 25 anos da CASACOR Minas em uma das construções mais emblemáticas do estado. Esperamos receber um dos maiores públicos da história”, destaca a diretora comercial Juliana Grillo, que aguarda um público de cerca de 70.000 visitantes ao longo dos 40 dias de visitação. E para conseguir atrair milhares de visitantes, um time de peso formado por renomados profissionais e jovens talentos foi convocado para encantar os visitantes.

Neste ano, evento vai ocupar o Palácio das Mangabeiras © Jomar Bragança

Nomes como Flávio Bahia, que esteve na primeira edição da mostra, em 1995, está garantido, assim como Junior Piacesi, Estela Netto, Gustavo Penna e Pedro Lázaro. Outros expoentes com diversas participações ao longo de suas carreiras e que também estarão no time de 2019 são: Mário Caetano, Ângelo Coelho, Cristina Morethson, Juliana Vasconcellos, Ana Bahia e Valéria Junqueira.

Soma-se ao elenco Rodrigo Aguiar, Will Lobato, Rodrigo Castro, Rodrigo Maakaroun, Sílvia Carvalho, Luis Gustavo, João Lucas, Joana Hardy, Antônio Valadares, Tereza Valadares, João Diniz e Bel Diniz, José Lourenço, Mariza Rizck Magalhães, Felipe Fontes, Betina Marques, Gabriel Passos, Túlio Manata, Fernanda Boratto, Vera Valenzuela, Nagela Rigueira Aud, Wanderlan Pereira, Lucas Lage, Andréia Campolina, Bárbara Drummond, Carolina Melgaço, Cynthia Silva, André Prado, Paula Zasnicoff, Gabriela Azeredo, Alex Roussef, Patrícia Pires, Tina Barbosa, Júlia Belisario, Carol Horta, Filipe Pederneiras, Karina Polatscheck, Érika Steckellberg, Graziela Costa, Kívia Costa, Mira Mundim, Renata Paranhos, Sheila Mundim, Juliana Couri, Maria Gabriela Nogueira, Natacha Nacif, Felipe Soares, Renata Basques, Érika Viana, Flávia Freitas, Flávio Lobato e Maria Luiza Amorim.

Entre os estreantes desta edição estão Marina Diniz, Paula Guimarães, Nídia Duarte, Carla Cruz, Philipe Pinheiro, Letícia Longuinho, Carolina Campos, Maria Clara, Igor Zanon, Daniel Tavares, Marcus Paschoalin, Bárbara Barbi, Murad Mohamad, Jéssica Sarriá, Filipe Castro, Atamar Lorrani, Francisco Mascarenhas, Carol Quinan, Andréa Pinto Coelho, Fernanda Basques, Mário Caetano, Cristiano Sá Motta, Cristina Morethson, Aline Castro, Natália Freitas e Laura Penna.

O projeto Casa Minério, assinado pela experiente Ângela Roldão em parceria com a Laminus Engenharia, apresentará uma estrutura modular feita 100% com rejeito de minério. A ideia surgiu ao observar a importância desse tipo de construção e do reaproveitamento deste material, principalmente, depois do rompimento das barragens de Mariana e Brumadinho. Para isso, foi projetada uma casa onde o piso, paredes e cobertura são produzidas essencialmente com rejeitos de minério. O ambiente ficará na área externa do Palácio, onde antes era um campo de futebol.

Presente pela primeira vez na mostra, Janaína Pacheco é a responsável pela arquitetura do projeto Casa dos Eucaliptos. O trabalho é feito em parceria com Maurício Bonfim, que assina todo o design de interiores e mobiliário do local. O conceito da casa é o de ser um ambiente totalmente integrado à natureza, uma vez que o espaço possui uma estrutura metálica com panos de vidros cercado por uma pequena floresta de eucaliptos.

Dentro do ambiente, ainda será possível encontrar três modelos da espécie, que foram integradas ao projeto, além da oportunidade de contemplar a vista das montanhas. Espelhos serão colocados na natureza para fazer com que as pessoas olhem para si, em uma profunda ligação com o meio ambiente.

Em sua quarta participação na Casacor, Flávia Roscoe assina o projeto Suíte do Governador. O conceito da montagem do ambiente nasceu da seguinte reflexão feita por ela: “O que é ouro para você?”. Essa observação tem como objetivo apontar as responsabilidades que os políticos que ocuparam o local possuíam, não no sentido material, mas no de valorizar o que é do povo, no verdadeiro propósito de habitar aquele espaço.

Os visitantes encontrarão, ao longo do ambiente, tons discretos em dourado, uma mesa de trabalho, uma poltrona de leitura de frente para uma bela vista, uma mesa para tomar o café da manhã, um painel atrás da cama que remete à época da construção da casa na década de 1950, além de várias obras de arte. A ideia é criar a sofisticação e a leveza do acolhimento em um mesmo local.

Norah Fernandes e a estreante Bárbara Nobre são as responsáveis pelo projeto Gabinete. Por meio de uma pesquisa realizada para entender como era o uso do local, além de valorizar os objetos originais da década de 1950, as profissionais optaram por contar a história do lugar por meio da decoração.

Peças como um painel e uma sanca de iluminação de estrutura metálica daquela época foram restauradas. Um sofá do período também será instalado no ambiente. Para trazer contemporaneidade, móveis no estilo Hi-Tech, como cadeiras ergonômicas, irão compor a cena. O grande diferencial é que o público encontrará um novo conceito de layout para escritório.

O Pavilhão Office, assinado por Fernanda Villefort, traz a concepção de espaço corporativo onde a afetividade ganha espaço e aproxima o usuário de elementos multissensoriais. O ambiente propõe um percurso em forma de galeria para contemplação e comunicação com a arte, além de uma setorização integrada entre três esferas: BUSINESS (reuniões/conexão com o outro) + MEETING (treinamento / palestras / conexão com o mundo) + COWORKING (trabalho individual / conexão consigo mesmo / foco).

Uma grande bancada de apoio serve para oferecer desde o típico cafezinho até o atual happy hour. Já na parte da arquitetura, a proposta é de trabalhar com materiais naturais e muita integração entre o interior e o exterior. Para isso, foi criado um invólucro em aço corten com faixas ritmadas e intercaladas com o vidro incolor para gerar sensações e intensidades de luz também variadas. Há ainda a presença de um jardim vertical natural que dialoga com o entorno e enfatiza a importância da conexão com a natureza.

Um espaço de pesquisa e de descobertas. Assim, Ana Bahia e Sarah James descrevem o projeto Cozinha Funcional. O objetivo foi criar um espaço propenso às experiências, sejam elas sensoriais ou espaciais. A cena propõe diversas maneiras de uso e ocupação do local, como aulas de culinária, jantares, palestras e reuniões ao ar livre. Um dos pontos altos do ambiente é o design de mobiliário feitos com materiais como ônix, inox, pedra sabão e feltro, que serão utilizados de uma maneira inusitada. A arquitetura foi pensada como um bloco cujos ângulos não retos provocam diferentes visadas a cada ponto de partida.

Imagem em destaque: “Casa Floresta” © Júnior Piacesi

Saiba mais em
casacor.com