Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Cia Agnes retorna aos palcos com o espetáculo Zona Quente

Coreografia é inspirada em conto moçambicano; Montagem será apresentada nesta quarta-feira, 14 de agosto, com entrada gratuita
Por Redação Feira Cultural

Em agosto, a Companhia de Dança Agnes retoma as apresentações de um de seus espetáculos mais marcantes, “Zona Quente”. Ele é baseado no conto homônimo do livro “Reclusos do Tempo”, do escritor moçambicano Alex Dau. A primeira performance está marcada para esta quarta-feira (14), às 19h, na Escola Municipal Antônio Mourão, no bairro Cardoso. A entrada é gratuita.

O conto “Zona Quente” narra a história de Elisa, uma linda jovem e seu encontro com João Mapala na cidade de Maputo, capital de Moçambique. O livro foi lançado em 2009, pela Associação dos Escritores Moçambicanos e reúne 12 pequenos contos e um glossário.

As narrativas de Dau navegam entre os ambientes urbano e rural, trágicas em sua maioria, envoltas em personagens marginais, feitiços e espíritos irritados com o descumprimento das oferendas por parte dos homens, assim como as sombras da triste guerra civil que arrasou o país por anos.

O conceito do espetáculo surgiu em 2014, quando o autor visitou o Centro Cultural Vila Santa Rita, localizado na região do Barreiro, onde a Cia Agnes nasceu. A visita repercutiu na veia artística do grupo que percebeu fortes semelhanças entre Maputo e a própria Vila Santa Rita e, após um intenso trabalho de pesquisa cênica e corporal, criou uma coreografia baseada nessa experiência literária.

O encontro com o artista Alex Dau e suas obras possibilitou aos integrantes da Cia Agnes a percepção de que os problemas enfrentados pelas periferias dos dois países podem ser parecidos, mesmo em continentes diferentes. A direção geral é de Stella Soares e a direção artística é de Emerson Guilherme. A produção ficou a cargo de Mariana Marques com assistência de Miriam Santos. Os bailarinos são Emerson Guilherme Stella Soares, Evelyn Soares, Ruthe Santos, Ingrid Fernandes e Verônica Santos.

Segundo Stella Soares, o espetáculo levanta as semelhanças sociais entre as cidades e países. “É uma experiência sobre o calor, a cor e as texturas sociais destes lugares e seus personagens. ‘Zona Quente’ traz incrustado em sua história palavras como ocupação, invasão e resistência, que deixam marcas visuais no espaço urbano e nas criações dos artistas, que não podem deixar de se colocar diante daquilo que os cerca”.

Na trilha sonora estão músicas marcantes como “Home Wind” (John August), “A Dub For Akufen” (Deadbeat), “For a Moment” (To Rococo Rot and I-Sound), “Awakening of a Woman” (The Cinematic Orchestra), “Walk Ten Miles” (Mum), “Dead Can Dance” (Song of the Stars) e “African Central Soul – Guitar Mix” (Homeboyz Muzik).

A Cia Agnes surgiu em 2001, em Belo Horizonte, com o objetivo de promover a dança nas periferias como linguagem artística, contemporânea e urbana. Hoje é composta por oito artistas, com idades entre 15 e 34 anos, interessados em pensar a cena cultural a partir de referências estéticas e sociais. O grupo integra as linguagens literárias e do teatro para seu desenvolvimento e formação.

Em 18 anos de existência, a Cia Agnes percorreu diversos caminhos, bairros e cidades, dentro e fora do país. Participou de eventos como 1ª Mostra de Artes Cênicas, nos centros culturais de Belo Horizonte; da Caravana Cufa (Central Única das Favelas), que percorreu as cidades de Felixlândia e Carangola e também do Gira Praça – um evento organizado pelo Sesc Minas.

Esteve presente no projeto Expresso Liberdade, que levou circo, teatro e dança às periferias e comunidades de Belo Horizonte e no Quadrifest, evento organizado pela própria Companhia nos anos de 2007, 2008, 2009 e 2010, com o objetivo de misturar um evento de dança com a popular conhecida Festa Junina – Festa da Associação Beneficente Caminhar, COMEQ e BH na Paz – realizado pela ONG Arte pela Paz.

Buscando ampliar seu repertório de pesquisas e atuações, em 2015, a Cia iniciou seu processo de internacionalização, investindo em estudos e preparação para a participação em festivais internacionais. Em 2017, fez sua primeira incursão fora do país e se apresentou no Festival Danzamarathón, na cidade de Cáceres (Espanha). Foi uma grande oportunidade para demonstrar um pouco do seu repertório através de coreografias que são desenvolvidas em aulas.

O projeto sociocultural Agnes Cidadania, foi criado em 2012, para receber alunos da comunidade. São ministradas aulas de danças urbanas, contemporânea e ballet, em horários acessíveis, atendendo cerca de 300 alunos em Ibirité e 70 em Belo Horizonte. Em 2018, teve expansão com abertura do Espaço Agnes Cidadania.

Crédito da imagem em destaque: Filipe Vieira

Serviço:
Zona Quente – Cia Agnes
Data:
14/8 (quarta-feira)
Horário: 19h
Local: Escola Municipal Antônio Mourão
Endereço: Rua Intersindical, 270 – Cardoso
Entrada gratuita
Informações:
@ciaagnes