Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Belo Horizonte recebe III Encontro de Arte Mineira

Evento acontece na quarta-feira, 13 de fevereiro, no Sou Café, do CCBB; Entrada é gratuita
Por Redação Feira Cultural

O projeto cultural Beagá Arte promove na quarta-feira (13), das 15h às 21h, o III Encontro de Arte Mineira no Sou Café CCBB (Pátio do Centro Cultural Banco do Brasil), evento que reúne nomes do artesanato e arte Mineira. Na programação, um bate papo literário com o escritor e artista plástico Estevão Machado. Estarão reunidos expositores que vão apresentar diversas opções para uso pessoal, para enfeitar o lar e de gastronomia, com a assinatura de marcas locais. A entrada é gratuita, sujeita à lotação do espaço.

Para este ano, a novidade é que o evento vai contar com um espaço fixo no Sou Café, para exposição e venda dos produtos artesanais, onde os encontros artísticos irão ocorrer mensalmente. Abraçando diferentes modos de expressão como literatura, música, artesanato, artes plásticas e artes visuais, o propósito é criar uma identidade dentre desse que é um espaço privilegiado na cena cultural belo-horizontina.

Neste ano, a pretensão do coletivo é também se tornar uma associação até o fim do primeiro trimestre, o que vai ajudar na visibilidade e abrangência de público. A perspectiva é de conseguir incentivo, novas formas de apoio, dar oportunidade aos artesãos de participar de diversas exposições, até em outros estados, em locais como centros culturais e museus, por exemplo, a preços de exposição acessíveis.

O projeto está com inscrições abertas para novos expositores. Quem tiver interesse pode procurar a coordenação para avaliação das peças e possível participação. O telefone é (31) 9.9511-9490 e também está disponível no Instagram do projeto, além da página no Facebook.

A partir das 19h, a casa abre as portas para o bate-papo literário com o artista plástico e escritor Estevão Machado, que irá discorrer sobre o premiado livro O Rio no Bolso e o Quintal Amarelo. Na publicação, poemas e desenhos cheios de afetividade e lirismo que levam o autor de volta à infância – o enredo parte de uma referência poética sobre o trabalho de seu avô materno, o escritor Aníbal Machado. A obra foi a vencedora entre 1,7 mil inscritos no Concurso Nacional de Literatura, Prêmio Cidade de Belo Horizonte, no ano de 2014.

Pensar em arte e artesanato é pensar em histórias de vida. É pensar que, por trás de cada obra, há identidade, contornos de uma raiz. Ao contrário da produção industrializada, em série, que se engessa em comandos e padrões, o feito à mão é dotado da beleza de ser e pertencer. Quando mentes criativas empenham em objetos únicos suas habilidades e personalidade, a manifestação manual conquista uma fluidez que é seu próprio modo de significar.

Minas Gerais é celeiro de grandes nomes quando o assunto é o fazer artístico e artesanal. “São artistas que fazem peças lindas, estimadas até fora do Brasil, mas enfrentam dificuldades na comercialização, principalmente por causa dos atravessadores. Dessa forma, acabam não sendo reconhecidos e ficam sem o retorno desse esforço todo. E a maioria dos artesãos dedica a vida a isso”, critica Cynthia Rabello, coordenadora do projeto Beagá Arte -Valorizando Quem Faz, um coletivo de artesãos e artistas plásticos mineiros.

É para mudar esse cenário que, já há algum tempo, ela vem promovendo a reunião entre atores dessa cadeia em eventos especiais, voltados para enaltecer e fazer acessível ao público a produção de cada um. Desde o início tímido na garagem de casa, Cynthia comemora quase cinco anos de projeto. “Pretendemos promover a união entre os atores da cadeia da arte e do artesanato. Convocamos o público para prestigiar a produção em Minas, valorizar o que a gente tem e faz”, salienta.

O projeto já recebeu convite para participação em eventos em São Paulo e Rio de Janeiro. “A ideia é estabelecer um encontro de arte itinerante. Agrupar uma turma com trabalhos diferenciados, criativos e, assim, investir em uma divulgação maciça para ampliar o espectro de atuação dos artistas e artesãos, focando realmente na produção mineira. O importante agora é estarmos organizados”, pontua Cynthia Rabello.

Crédito da imagem em destaque: Izabel Chumbinho /Iepha-MG

Serviço:
III Encontro Arte Mineira
Data: 13/2 (quarta-feira)
Horário: 15h às 22h
Local: Sou Café – CCBB-BH
Endereço: Praça da Liberdade, 450 – Funcionários
Entrada gratuita
Informações:
(31) 3431-9400 | culturabancodobrasil.com.br