Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Programação de férias do Memorial Minas Gerais oferece atividades gratuitas para o público infantil

Oficinas de bateria para garotas, fuxico e memes integram programação gratuita, que vai de 15 a 31 de janeiro
Por Redação Feira Cultural

Atividades gratuitas serão realizadas durante a temporada de férias © Divulgação /Memorial Minas Gerais

Neste período de férias, o Memorial Minas Gerais traz uma programação direcionada ao público infantil, com destaque para as oficinas, que serão oferecidas entre 15 e 31 de janeiro de 2019. As aulas envolvem atividades de bateria para garotas, shantala, fuxico, esculturas em biscuit, adesivos e até memes.

Em 15 (terça-feira) e 18 (sexta-feira) de janeiro, acontece a Oficina de Shantala. Na ocasião, a professora Maysa Ribeiro irá ensinar essa técnica de massagem em bebês. A atividade acontece das 14h às 16h. A oficina será uma vivência que buscará proporcionar aos bebês uma experiência sensorial por meio da Shantala, além de apresentar óleos essenciais e suas utilidades. Podem participar pais ou responsáveis, com bebês de três a 12 meses.

Nos dias 16 e 17 (quarta e quinta), acontece a Oficina de Memes. A frase “é verdade esse bilete”, acabou tornando-se um bordão nacional ao ser transformada em um meme de internet. Artistas, empresas e internautas das mais variadas regiões do país começaram a escrever absurdidades assinando de brincadeira: “é verdade esse bilete”. E tudo começou com a singela história de um garoto que inventou um bilhete da professora e entregou para a mãe, dizendo que não haveria aula no dia seguinte.

Os memes mexem tanto com as pessoas que foi criado o site www.museudememes.com.br como parte de um projeto de estudos da Universidade Federal Fluminense. Assim, também, a Oficina de Memes, ministrada por Gustavo Rodrigues e Henrique Bedetti irá convidar os participantes a criarem seus próprios memes, com aplicativos simples e intuitivos, a partir dos smartphones. A oficina acontece das 13h30 às 16h. Podem se inscrever jovens de 12 a 15 anos.

Em 25 e 31 de janeiro, o Memorial oferece a Oficina de Fuxicos. A educadora Juliana Silva irá ensinar a técnica de fuxico, mostrando as várias possibilidades de criação de peças decorativas e de vestuário que podem ser compostas a partir desse tipo de trabalho manual. Podem se inscrever pessoas a partir dos 14 anos. A oficina terá duração de um dia, realizada das 14h às 16h.

 

Além de oficinas, o teatro é opção para crianças, com a peça “Jornada” © Alexandre Hugo

 

Aprender o passo a passo para se chegar a uma escultura, do desenho à modelagem, passando pela criação de um personagem. Essa é a ideia da oficina Modelando Ideias, que abordará a construção criativa do imaginário, através da modelagem de biscuits. O instrutor será o educador Davide Chech. A oficina é destinada a crianças e adolescentes de 10 a 14 anos e acontece de 22 a 22 de janeiro das 13h30 às 16h.

Isabella Figueira, integrante da banda Dolores 602, que toca também com várias outras bandas e é também Dj, irá ensinar garotas, de 8 a 12 anos, a tocarem bateria. A ideia é estimular as mulheres a entrarem nesse mundo até então predominantemente masculino. Será também uma oportunidade das meninas terem contato com uma bateria e conhecer um pouco sobre a história e sons desse instrumento tão especial. A oficina terá duração de dois dias, 23/01 e 24/01, das 14h às 16h30.

A artista plástica Sylvia Amélia irá ensinar crianças, de 7 a 10 anos, a investigar e redescobrir a Praça da Liberdade por meio de suas formas, cores e texturas, através de desenhos e recortes. O objetivo é ensinar a observar e desenhar em detalhes elementos visuais encontrodos no entorno do Memorial Minas Gerais e criar, com esses desenhos, uma coleção de adesivos. A oficina terá duração de dois dias – 29/01 e 30/01, de 14h às 15h30.

Lambe-Lambe © Cátia Bonini

Música e Teatro – A programação de férias do Memorial se estende a outras linguagens artísticas. Dentro da programação “Eu, Criança, no Museu!”, a atriz Cynara Bruno organizou uma apresentação onde ela e mais três artistas vão apresentar teatro lambe-lambe, no domingo (13), das 11 às 12h30. O teatro lambe-lambe, também conhecido como teatro de miniaturas, é uma apresentação dentro de uma caixa preta em que miniaturas são animadas pelas mãos do artista, e o público assiste tudo colocando seus olhos em um buraquinho na caixa, através do qual é possível acompanhar a história.

Cynara irá apresentar a história Visita, em que uma boneca Abayomi (bonequinha preta, de pano, que em Iorubá signficia resistência, encontro precioso), que mora sozinha dentro de uma caixa de costura, decide, para driblar a solidão e a monotonia, transformar o seu “quarto” no melhor lugar do mundo. A história dura só 2 minutos, e é repetida para cada visitante que chega para assistir. Comandando outras histórias nas outras caixas estarão os artistas Tábata Lori, Hermes Perdigão e Conceição Rosieri. A apresentação é gratuita, e os ingressos devem ser retirados com 1 hora de antecedência, na recepção do Memorial.

Dentro do projeto Memorial Autoral, o público terá a oportunidade de conhecer o trabalho do jovem cantor e compositor mineiro de Diamantina que está fazendo muito sucesso por onde passa: César Lacerda. No sábado (26), às 15h, ele fará o show Tudo Tudo Tudo Tudo, baseado em seu terceiro disco, que tem uma pegada pop. Nesse trabalho César contou com parcerias como a de Jorge Mautner, Moska, Paulo Miklos, Chico César, Marcelo Jeneci. César Lacerda é muito respeitado no meio artístico e já teve canções gravadas por Maria Bethânia, Gal Costa, Filipe Catto, Marcia Castro, Aíla, Duda Brack, entre outros. A apresentação será um show solo, com voz e violão.

César Lacerda é uma das atrações musicas de janeiro ©Lorena Diniz

Na quinta-feira (31), quinta-feira, às 19h30, dentro do projeto Leitura Rara do Memorial, será apresentada a peça Jornada. O espetáculo – estrelado pelas atrizes Camila Morena, Gláucia Vandeveld e Juliana Martins – é dividido em três partes: na primeira acontece um ensaio da própria peça; a segunda parte é a própria peça, que é a história de três mulheres que se encontram em uma jornada rumo a outro país; e a terceira parte é uma conversa com o público sobre o que foi encenado.

Artes Visuais – Em uma das salas do Memorial há um grande mapa de Minas Gerais que ocupa uma parede inteira, mostrando a divisão municipal do Estado. Diante desse mapa, os visitantes são convidados, por meio de post-its, a deixarem seus comentários sobre algum desses lugares que para eles podem ter algum significado, seja porque já visitou um dia, seja porque veio daquela cidade, seja porque gostaria de conhecer um dia. São lembranças, recordações, afetos, desafetos, curiosidades e expectativas sobre cada lugar desse gerais que forma Minas. A ação acontece diariamente.

Para quem escolher visitar a Exposição Cinco Anos do Edital Jovens Artistas, haverá walkmans em que se pode ouvir áudios que criam roteiros imaginários sobre a exposição. São seis opções diferentes de áudios, cada um criado por um educador do Memorial que acompanha a exposição e coloca seus próprios sentimentos e emoções como uma sugestão de caminhada ao longo das obras.

 

Geografia do Memorial desperta a curiosidade do visitante © Guto Muniz

LEIA MAIS:
Memorial Minas Gerais inaugura exposição comemorativa dos cinco anos de edital de estímulo a jovens artistas

A mostra traz uma retrospectiva dos trabalhos de artistas mineiros iniciantes, que expuseram seus trabalhos no Memorial selecionados por meio do Edital, que proporcionou todo o processo de montagem, divulgação e exposição de suas obras nesse espaço nobre da capital – a Praça da Liberdade. Foram 19 exposições entre coletivas e individuais desde 2013. A mostra segue em cartaz até o dia 17 de março de 2019, com entrada gratuita.

A curadoria de Bruno Vilela e Guilherme Cunha traz ao Memorial Minas Gerais uma exposição fotográfica que, no contexto da cidade e suas escritas, apresenta um recorte da série idealizada pela artista entre 2003 e 2007. O olhar se dirige ao rés do chão: palavras arruinadas que antes eram nomes de estabelecimentos comerciais da cidade se inscrevem e são lembradas por seus des-nomes.

Na mostra se instaura uma arqueologia da palavra materializada pelas pedras em falhas, fragmentos e soterramentos gerados pelo fluxo dos pés, das operações urbanas, dos acidentes. Destituídas de seu originário sentido prático e objetivo para figurarem como escrita anônima, ordinária e cotidiana, as imagens convocam o olhar a reler a cidade na incompletude de seus traços.

Ao entrar no Memorial Minas Gerais, a criança pode optar por levar durante a sua visita o Kit Trilha da Infância. Com lupa, lanterna, espelho, binóculo e um mapa, as crianças podem passear pelas diversas salas investigando tudo o que surge em seu caminho. Ao final da visita, o Kit deve ser devolvido para que outras crianças possam vivenciar essa experiência de maneira divertida e interessante.

Crédito da imagem em destaque: Izabel Chumbinho /Iepha-MG

Memorial Minas Gerais
Endereço: Praça da Liberdade, 640 – Funcionários
Informações: (31) 3308-4000 | memorialvale.com.br