Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Chico Amaral, Leo Gandelman e Amaranto participam de série de shows em apoio à Fundação de Educação Artística

A bilheteria dos shows será integralmente revertida para a 7ª edição da Campanha de doação “Transforme seu imposto de renda em música” que tem contribuído, desde 2011, ara manter o programa social de bolsas de estudo de música, criado pela FEA
Por Redação Feira Cultural

A partir de sábado (17), a Fundação de Educação Artística recebe uma série de quatro shows com os grupos musicais Amaranto, Cordas e Vocais, Nós e Voz e Voz e Cia. As apresentações fazem parte da campanha Transforme seu imposto em Música e acontecem até 9 de dezembro, todo fim de semana, sempre aos sábados e domingos, às 19h, na Sala Sergio Magnani da FEA. Os ingressos custam a partir de R$ 10,00 (meia-entrada) e serão integralmente revertidos para o programa social de bolsas de música concedidas pela FEA, em 2019. Os ingressos já estão à venda neste link ou na bilheteria da FEA, nas datas das apresentações.

A série de shows tem início com Amaranto, nos dias 17 e 18 de novembro, às 19h, trazendo repertório variado e intimista, que revisita a trajetória de 20 anos do grupo, com arranjos próprios de canções da música popular brasileira. Formado por Lúcia, Flávia e Marina Ferraz, o trio de irmãs já possui história de quase trinta anos com a escola, desde os tempos em que ainda frequentavam como estudantes. “Nossa carreira musical como artistas profissionais e professoras de música começou na fundação. Acreditamos na importância da escola oferecer bolsa para jovens ingressarem na música abrindo outras possibilidades a partir do contato com a arte. Que as pessoas possam se sensibilizar doando seu imposto de renda. É uma atitude simples e que pode construir novas trajetórias na arte”, explica Flávia Ferraz, integrante do trio.

Nos dias 24 e 25 de novembro é a vez do grupo Nós e Voz, proporcionar ao público diversos momentos de sua trajetória em um repertório que traz arranjos de “Meu País” (Ivan Lins e Vítor Martins), “Cecília” (Chico Buarque e Luiz Cláudio Ramos), “Na Ribeira Desse Rio” (Dori Caymi e Fernando Pessoa), “Romaria” (Renato Teixeira), “O Ciúme” (Caetano Veloso), entre outras. A apresentação tem início às 19h.

Nos dias 1º e 2 de dezembro tem apresentação do Cordas e Vocais com repertório e arranjos que convidam o público para um encontro com canções da música popular brasileira. O integrante do grupo, Daniel Augusto, também foi aluno da FEA e, desde 2007, atua como professor. “A Fundação teve papel fundamental na minha formação musical e humana. Não só minha, mas de todos os integrantes do Cordas e Vocais. Estamos muito honrados em fazer o show em benefício de uma casa que sempre se preocupou em levar a música para todos. Eu apoio a Fundação porque entendo a importância dessa instituição para a manutenção da cultura musical em Belo Horizonte e no país. Qualquer um que passa por lá entende a importância de um projeto assim na vida das pessoas”, explica.

O grupo Voz e Cia, que comemora 30 anos este ano, faz show nos dias 8 e 9 de dezembro do espetáculo cênico-musical “Circo Místico”, adaptação livre da obra “O Grande Circo Místico” de Chico Buarque e Edu Lobo. O trabalho marcou a cena cultural de Belo Horizonte nas últimas décadas e foi dirigido por Ernani Maletta. Integrante e fundador dos grupos Nós e Voz e Voz e Cia, Ernani conta que também teve acesso a bolsa quando ainda era aluno da FEA.

“O privilégio que eu tenho hoje de rever a minha trajetória pessoal, bem como a minha formação e atuação profissional como professor e artista, e ter muito orgulho delas, em grande parte, eu devo à Fundação e à Berenice Menegale, que me beneficiou com uma bolsa de estudos e permitiu por meio da arte que eu me tornasse um cidadão capaz de buscar as próprias respostas que a vida nos apresenta. E por isso convoco todos a apoiar a FEA, em especial por meio da doação via imposto de renda, para que a gente preserve esse espaço tão atuante na formação de cidadãos que também possam se orgulhar de suas trajetórias”, convida. A apresentação é às 19h.

Segundo a pianista e diretora artística da FEA, Berenice Menegale, a importância de se manter um Programa de Bolsas de Estudo de Música que oferece a jovens em vulnerabilidade social a oportunidade de estudar música gratuitamente e de forma exemplar, tem mobilizado cada vez mais a classe artística: “é emocionante ver os artistas, muitos deles que estudaram aqui, mobilizados nesta causa. Pessoas que enxergam na campanha uma oportunidade de direcionar parte do imposto devido a um Programa que realmente transforma vidas”, explica Menegale. As doações para a Fundação podem ser feitas até 27 de dezembro no site da FEA. Mais informações: 3226-6866 ou contato@feabh.org.br.

Um dos artistas que encabeça a campanha em manifestações nas redes virtuais é o saxofonista Chico Amaral, ex-aluno da Fundação e hoje expoente do jazz na cena musical mineira: “a Fundação tem uma importância nacional. Falo aqui de vanguarda, experimentação, mas também se trata de educação e educação musical. Fui estudante lá e esse projeto de bolsa para alunos carentes é muito valioso. A bolsa que a pessoa física vai financiar permite um desconto no importo de renda possibilitando que ela apoie um projeto de cunho social como poucos existentes no Brasil”, afirma o músico.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA

Fundação de Educação Artística – FEA
Endereço:
Rua Gonçalves Dias, 320 – Funcionários
Informações: (31) 3224-1744 | feabh.org.br

*Crédito da imagem em destaque: Fernando e Nanda