Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Leila Pinheiro celebra os 60 anos da Bossa Nova na série “Sinfônica Pop”

Ao lado da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, paraense interpreta composições de Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Chico Buarque e outros grandes nomes; Apresentações acontecem no sábado (10) e no domingo (11), no Grande Teatro do Palácio das Artes
Por Redação Feira Cultural

A cantora, compositora e pianista paraense Leila Pinheiro é a convidada da Fundação Clóvis Salgado para a próxima edição da série Sinfônica Pop. Pela primeira vez em parceria exclusiva com a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Leila se apresenta em duas oportunidades, oferecendo ao público o melhor de um repertório que celebra 60 anos do gênero musical brasileiro mais famoso do mundo, a Bossa Nova.

Leila Pinheiro tem encontro inédito com a Sinfônica de Minas Gerais nos dias 10 e 11 © Netun Lima

Os shows contam com interpretações da cantora de músicas de Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Chico Buarque, Edu Lobo, dentre outros célebres compositores e serão realizados no sábado (10), às 20h30, e no domingo (11), às 19h, no Grande Teatro do Palácio das Artes. Os ingressos já estão à venda na bilheteria do teatro ou neste link e custam R$ 60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia-entrada).

Pela primeira vez ao lado da Sinfônica de Minas Gerais, Leila Pinheiro destaca a emoção de estar se apresentar com a orquestra. “O projeto Sinfônica Pop é espetacular. Cantar com orquestras do nível da OSMG é sempre um presente para intérpretes que tocam. A música se enriquece muito com tantas sonoridades e possibilidades. Eu ganho um entusiasmo novo, que vai para as canções, e todos – músicos e público – sentimos juntos”.

Apesar de sua primeira apresentação com a OSMG, Leila já tem costume de se aventurar pela música erudita – tanto como cantora, quanto como pianista. “Felizmente, shows com orquestras nas mais diversas formações são recorrentes na minha trajetória. Gosto muito de cantar com Big Bands, também”, conta. As mais recentes parcerias da artista foram com a Orquestra Jovem Tom Jobim (cantando o “Clube da Esquina”), a Orquestra Jovem VALE de Música, a Sinfônica do Theatro da Paz, em Belém, e a Orquestra Sinfônica de Jerusalém, em Israel.

O repertório do Sinfônica Pop contempla composições clássicas da Bossa Nova, com arranjos criados especialmente para as apresentações de Leila com grandes grupos musicais. “Escolhi as canções dentre meu repertório com orquestras, pensando no que resultaria mais bonito em um espetáculo que homenageia a Bossa Nova”, explica Leila.

Músicas que são parte da carreira da cantora há quase 40 anos ganham uma nova roupagem, e prometem encantar o público. Além disso, os shows contam com uma abertura especial escrita pelo pianista e arranjador mineiro Frederico Natalino, que faz um passeio pelo que Leila gravou durante a carreira, homenageando a artista.

O público poderá conferir, em arranjos orquestrais, composições marcantes da Bossa Nova, como os sucessos imortais de Vinícius de Moraes Insensatez (1961) e Ela é carioca (1963), as primorosas composições de Tom Jobim Por toda a minha vida (1959) e Modinha (1981), além de canções de Flávio Venturini, Eduardo Gudin, J. C. Costa Netto, Edu Lobo, Chico Buarque e Paulo César Pinheiro.

A cantora também destaca a importância de um show dedicado a um gênero musical tão especial na história da música brasileira. “Fico feliz que a Bossa Nova seja lembrada e tocada sempre. Essa matriz de beleza harmônica sem paralelo no mundo, tocada por gênios como João Gilberto, Carlos Lyra, Roberto Menescal e Tom Jobim. Busco cantar o que eles compuseram e apresentar o melhor dessa música, que é atemporal e é eterna”, comemora a artista.

Leila já estudando as partituras com os arranjos especiais. “Artista que não é bobo fica de olho no maestro, estuda o arranjo, grava os ensaios, e depois se joga. Tenho que louvar e saudar a iniciativa da Fundação Clóvis Salgado, assim como o empenho da equipe em fazer acontecer. É uma honra para mim e um presente que recebo com imensa alegria. Vida longa a este projeto! Estou chegando, BH!”.

Sinfônica Pop é uma das séries mais consagradas da OSMG © Paulo Lacerda /FCS

As apresentações, que têm regência do maestro assistente da OSMG, Sérgio Gomes, aliam o talento da cantora à versatilidade da Orquestra. Segundo Sérgio, o programa Sinfônica Pop se faz muito importante na desmistificação da música sinfônica como algo inacessível, e tem mostrado resultado positivo.

“Em todos os anos da existência do projeto, a OSMG buscou valorizar um dos signos mais importantes da criatividade brasileira, a MPB. Nesse momento, homenageando os 60 anos da Bossa Nova, teremos uma aliada forte: Leila Pinheiro, com sua voz e talento inconfundíveis, que trará certamente brilho e sensibilidade em uma belíssima apresentação”, conta o maestro.

As canções foram adaptadas para a musicalidade orquestral pelas mãos de vários arranjadores renomados: os músicos Fred Natalino, Hudson Nogueira, Jota Moraes, Antônio Carlos Neves, Jaime Álem, Gilson Peranzzetta, Nelson Ayres, Tiago Costa, Rodrigo Morte, Flávio Mendes e Jether Garotte Jr. Segundo Sérgio Gomes, é a primeira vez que a apresentação terá um número tão grande de diferentes colaboradores. “Os arranjos trarão uma dinamicidade, uma variedade de interpretações que proporcionará maior riqueza ao show”, finaliza.

*Crédito da imagem em destaque: Washington Possato

Serviço:
Sinfônica Pop convida Leila Pinheiro – 60 Anos da Bossa Nova
Data:
10/11 (sábado), às 20h30; 11/11 (domingo), às 19h
Local: Grande Teatro do Palácio das Artes
Endereço: Av. Afonso Pena, 1.537 – Centro
Ingressos: R$ 60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia-entrada)
Informações: (31) 3236-7400 | fcs.mg.gov.br