Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

FIT-BH 2018 convoca cidadãos a fazerem parte da abertura do festival

Abertura contará com trabalhos do coreógrafo e pesquisador Marcelo Evelin (Piauí/Amsterdã) e artistas da cena baiana
Por Redação Feira Cultural

A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, e o Instituto Periférico abrem inscrições para cidadãos da sociedade civil participarem de duas residências artísticas que resultarão nos espetáculos de abertura da 14ª edição do FIT-BH 2018: Batucada (Teresina-PI), concebido pelo prestigiado coreógrafo Marcelo Evelin (Teresina/PI), e Looping: Bahia Overdub (Salvador-BA), idealizado pelos artistas Felipe de Assis, Leonardo França e Rita Aquino. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até 2 de setembro (sábado), por meio de preenchimento de formulário online disponível no site do festival.

Com reconhecimento nacional e internacional, os espetáculos da cena baiana e piauiense são recriados em cada cidade que os acolhe a partir de uma construção coletiva com artistas e não artistas. Tanto Batucada, com sua paisagem sonora de batuques em panelas e latas, como Looping, que une sonoridades e coreografias das festas do largo de Salvador, convidam o público a uma experiência de arranjos e encontros entre corpos, arte e política no espaço urbano.

As residências artísticas serão realizadas no período anterior ao festival e vão envolver cerca de 200 pessoas: artistas, estudantes e também ativistas e interessados de forma geral, com ou sem experiência em arte contemporânea. O trabalho resultará em duas obras que integram parte da programação de abertura do festival, em 13 de setembro.

© Renaud Monfourny

A residência Batucada, concebida pelo coreógrafo e pesquisador Marcelo Evelin (Teresina-PI), convoca cidadãos, artistas e ativistas com ou sem experiência em arte contemporânea, com idade a partir de 18 anos, que queiram batucar em panelas e latas, trazendo seus corpos para uma luta, um acontecimento performático. Após a primeira seleção dos inscritos, será realizada uma audição no dia 9 de setembro (domingo). Cidadãos, artistas e ativistas com ou sem nenhuma experiência em arte contemporânea, de qualquer gênero, grupo étnico ou classe social, com 18 anos ou mais podem participar da residência.

Clique aqui para se inscrever

Batucada foi concebida originalmente em 2014 para o Kunsten Festival desArts/Bélgica, um dos principais festivais da Europa. Cinquenta performers cidadãos – selecionados a partir de uma convocatória pública – se misturam e se transformam uns nos outros, numa batucada atravessada e suspensa em que os corpos tornam-se instrumentos para as estruturas rítmicas e impulsionam a cadência de uma coreografia da qual o público também faz parte. Transitando entre a festa e o protesto, esse acontecimento, tal qual um ritual, expõe tanto uma coletividade quase tribal quanto as subjetividades dos indivíduos. O batucar em objetos cotidianos contagia, desmancha fronteiras entre espectador e artista e provoca reflexões sobre a pulsão do homem na sociedade contemporânea.

A residência Looping, concepção e criação de Felipe de Assis, Leonardo França e Rita Aquino (Salvador-BA), propõe uma atividade de criação, envolvendo artistas locais, estudantes de artes cênicas e interessados de forma geral, a partir dos procedimentos de repetição e acumulação desenvolvidos no processo de construção do espetáculo concebido em Salvador/BA. Serão realizadas cinco residências de cinco horas cada, com 30 diferentes pessoas por encontro, totalizando cerca de 150 pessoas para a performance na abertura do festival. Na proposta serão realizadas práticas de sensibilização e expansão da escuta, laboratório de criação colaborativa e composição de movimentos e sonoridades. A residência é voltada para artistas e estudantes interessados em dança, teatro, música e performance. Não é exigida qualquer especialização ou domínio técnico, sendo dessa forma aberto tanto a coletivos e grupos da área quanto à comunidade do festival e cidade. É necessário ter 18 anos ou mais para participar.

Clique aqui para se inscrever

Looping constitui um estudo do tempo: repetição e acumulação. Movimentos de tensão e distensão da cultura, através de procedimentos que organizam sonoridades, corpos e espaços. Assim como nas ruas, o que está em jogo são arranjos coletivos através de uma participação estético-política. Dança e política – as festas de largo de Salvador e suas contradições são a paisagem predominante do espetáculo, que emerge do encontro entre pensamento sonoro e pensamento coreográfico.

Looping-Bahia-Overdub © Patrícia Almeida

Looping: Bahia Overdub é uma criação colaborativa de Felipe de Assis, Leonardo França e Rita Aquino. Suas práticas interdisciplinares articulam criação, produção, pesquisa, formação e curadoria em diferentes contextos de atuação. Indicado ao Prêmio Bravo! na categoria Melhor Espetáculo de Dança e considerado pelo jornal O Globo um dos dez melhores espetáculos de dança no Rio de Janeiro em 2016. Looping: Bahia Overdub participou de importantes festivais e eventos, como Festival Panorama (RJ), Bienal Sesc de Dança (SP), Porto Alegre em Cena (RS), Cena Contemporânea (DF), IC Encontro de Artes, Festival Internacional Vivadanca, FILTE, A Dança Ocupa o Porto (BA) e Plataforma LODO (Buenos Aires, Argentina).

FIT-BH 2018 – Desde a sua criação em 1994, o FIT-BH conquistou espaço no calendário cultural de Belo Horizonte. Durante 24 anos e 13 edições, o festival recebeu companhias e artistas de 42 países e ofereceu ao público belo-horizontino 365 espetáculos com linguagens e formatos diferentes, que ocuparam diversos teatros, espaços públicos e alternativos da capital. Desse total, 115 obras foram apresentadas por grupos e coletivos de Minas Gerais.

A 14ª edição do FIT está sendo construída, pela primeira vez, por uma equipe curatorial selecionada por meio de edital público. A programação do festival é norteada pelo conceito de “corpos-dialetos”, proposto pela jornalista e crítica Luciana Romagnolli, atriz e pesquisadora Soraya Martins e atriz, diretora e dramaturga Grace Passô e pelos assistentes da curadoria Luciane Ramos Silva, Daniele Ávila Small e Anderson Feliciano.

Segundo a curadora Soraya Martins, “com esses dois trabalhos, convidamos a cidade não só a receber, mas a fazer junto a abertura do FIT. E a aproximar esses corpos, vivências e singularidades para experimentar, esteticamente, algumas potências da mobilização social. Assim, abrimos caminho para uma programação que se propõe a ampliar o imaginário sobre o teatro brasileiro e internacional”.

Serviço:
Residências artísticas FIT-BH 2018
Inscrições:
até 2/9 (domingo)
Informações: fitbh.com.br