Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Mônica Martelli apresenta “Minha vida em Marte” no festival Teatro em Movimento

Espetáculo traz a continuação da saga de Fernanda, personagem criada pela atriz e autora, em 2005. Montagem terá duas apresentações dias 14 e 15 de abril, no Cine Theatro Brasil Valourec
Por Redação Feira Cultural

Se “Em Os Homens São de Marte…” Fernanda estava em busca do amor, em Minha Vida em Marte a personagem agora está casada há oito anos com Tom, com quem ela teve uma menina de cinco anos: Joana. Este é o pano de fundo para a protagonista se questionar na terapia de grupo. É nas sessões de análise que ela narra e vivencia deliciosamente as alegrias e os muitos problemas do seu casamento. Ali ela expõem assuntos íntimos, como por exemplo a falta de tesão, ou as tentativas de “trabalhar a relação”, e percebe que nas relações estagnadas, adia-se o afeto e acumula-se mágoas. “É muito comum no casamento que a gente deixe para amanhã a ternura, o sexo e a tolerância. E quando percebemos, a família que tanto sonhamos está por um fio”, revela Mônica sobre o destino de Fernanda.

O espetáculo de Mônica Martelli, que estreou no Rio de Janeiro, em maio de 2017 pode ser visto na capital mineira, integrando a programação do festival Teatro em Movimento, no sábado (14), às 21h, e no domingo (15), às 19h no Cine Theatro Brasil. Com a chegada da montagem em Beagá, a atriz e autora comprovou o fôlego de sua personagem, sempre com sessões esgotadas e direito a fila de espera – foram mais de 50 mil expectadores, em nove meses e cinco indicações a prêmios. Tamanho sucesso fez a montagem um dos maiores fenômenos teatrais do ano passado, tendo passado também por Brasília e Goiânia.

A peça é a continuação da saga de Fernanda, personagem que surgiu pela primeira no teatro em 2005, quando Mônica Martelli lançou a comédia “Os Homens São de Marte… E é pra Lá que eu Vou” sem imaginar o sucesso que o espetáculo protagonizado e escrito por ela alcançaria. Nem tampouco esperava a reviravolta que Fernanda, a personagem que criou para falar de amor e discutir o empoderamento feminino (muito antes da expressão cair no gosto popular) faria em sua trajetória pessoal. A autora, então com 36 anos, viu a peça tornar-se um sucesso sem precedentes ao alcançar mais de 2,5 milhões de espectadores e dar origem a um longa homônimo – que arrastou mais de 2 milhões pessoas para os cinemas – e a uma série televisiva com o mesmo título que já está em sua terceira temporada no GNT, sendo uma das maiores audiências do canal.

Doze anos depois, aos 48 anos, Mônica repete o sucesso de sua peça precursora. Minha Vida em Marte, dirigida pela irmã Susana Garcia, traz de volta Fernanda, agora com 45 anos, à procura de respostas para a sobrevivência conjugal. “Demorei para fazer esta peça porque sei que só é possível falar com propriedade sobre um assunto quando se consegue olhar para ele com distanciamento”, resume a autora que, tal qual sua personagem, conhece a fundo a dor da separação. Tendo como suporte suas próprias experiências, Mônica leva ao teatro um monólogo bem-humorado que aproxima através do riso e leva homens e mulheres à reflexão. E assim a atriz se confirma como uma das autoras brasileiras que melhor traduzem o comportamento feminino moderno.

A atriz carioca é a criadora e intérprete de “Os Homens São de Marte… E é pra Lá que eu Vou”, montagem que em 12 anos foi vista por mais de 2,5 milhões de espectadores, passou por 40 cidades em 20 estados brasileiros – além de Portugal – e tornou-se um dos mais longevos sucessos de público do gênero no país. O monólogo foi um verdadeiro fenômeno teatral e deu origem a uma série que está em sua terceira temporada no canal GNT. E a um filme codirigido por Susana Garcia que levou aos cinemas dois milhões de pessoas em 2014. Em outubro de 2017 teve o início as filmagens da película “Os Homens São de Marte… E é pra Lá que eu Vou 2”.

Serviço:
Minha vida em Marte – Mônica Martelli
Data: 14/4 (sábado), às 21h; 15/4 (domingo), às 19h
Local: Cine Theatro Brasil Valourec
Endereço: Av. Amazonas, 315 – Centro
Ingressos: Plateia I: R$90,00 (inteira) e R$ 45,00 (meia) / Plateia IB: R$80,00 (inteira) e R$ 40,00 (meia) / PlateiaII: R$60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia)
Informações: (31) 3201.5211 | (31) 3243.1964 | teatroemmovimento.art.br