Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Super Guia FestCurtas BH 2018: Site Feira Cultural faz um apanhado do que você precisa saber sobre a 20ª edição do festival internacional de curtas

Evento começa nesta sexta-feira e segue até 19 de agosto
Por Antônio Pedro de Souza

Começa nesta sexta-feira (10) e vai até 19 de agosto, a 20ª edição do FestCurtas BH – Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte. O tradicional festival terá como mote este ano o Cinema Negro. Ao todo, serão exibidos 138 filmes, de 70 países e 12 estados brasileiros, distribuídos ao longo de mais de 65 sessões que acontecerão no Cine Humberto Mauro, Sala Juvenal Dias e nos jardins internos do Palácio das Artes. As entradas são gratuitas e os ingressos devem ser retirados meia-hora antes de cada sessão. O endereço é Avenida Afonso Pena, 1537, Centro de Belo Horizonte.

Para esta edição, o festival recebeu 2.518 inscrições, sendo 405 brasileiras e 2.113 estrangeiras. A exemplo das edições anteriores, o evento busca valorizar a produção curta-metragista em seus diversos contextos e abordagens, possibilitando reflexões sobre a contemporaneidade.

Ana Siqueira, coordenadora de Programação e Curadoria do Festival, destaca a importância da temática e como ela será tratada no evento. “Com a fundamental participação do curador e crítico Heitor Augusto, o FESTCURTASBH volta seu olhar tanto para a pujante produção recente de cineastas negras e negros, quanto para a história dessa produção, largamente desconhecida e vítima da invisibilização que tem tradicionalmente acometido as diversas expressões artísticas e culturais da população negra no Brasil”. A coordenadora ressalta ainda quais reflexões a organização espera provocar no público a partir dos filmes exibidos nessa edição. “Desejamos que o público tenha acesso a essa filmografia, e às discussões em torno dela, nas sessões, seminário e debates, permitindo o engajamento em torno do cinema negro de forma mais complexa. Dessa forma, buscamos contribuir para se pensar como esses trabalhos são realizados estética e politicamente, trazendo uma série de implicações para nosso olhar, nossa forma de perceber os filmes, além dos necessários questionamentos de como a história do cinema é construída, nunca de forma neutra, sempre atravessada pelos diversos processos políticos e sociais em curso”.

POR DENTRO DO FESTIVAL:

Em 2018, o FESTCURTASBH apresentará três mostras especiais que se dedicam ao Cinema Negro. A primeira, voltada para a produção brasileira, com curadoria do pesquisador e crítico paulista Heitor Augusto, é “Cinema Negro: Capítulos de uma História Fragmentada”. A seleção, que está dividida em cinco programas (Família, Genocídio, Raízes, Diáspora e Corpo), reunirá 25 curtas realizados entre 1973 e 2018, a fim de esboçar uma possível árvore genealógica do cinema negro no Brasil. Cada programa possui uma articulação interna própria, explicitada nas palavras do curador da mostra:

Família é o programa mais narrativo dos cinco e abre com “Aquém das Nuvens” (2010), um filme doce sobre um casal negro que ainda se ama e se adora, mesmo depois de tantos anos de convivência. “O Som do Silêncio” (2017) tangencia o tema da masculinidade negra na paternidade. “Deus” (2016) é uma ficção híbrida que esteticamente habita o intervalo entre aridez social e ludicidade. “O Dia de Jerusa” (2014) apresenta um belo e improvável encontro entre uma senhora solitária e uma recenseadora. O programa se encerra com “Quintal” (2015), que implode categorias, marcações e expectativas, contribuindo indiretamente para a amplitude da discussão acerca do Cinema Negro.

Genocídio é o programa mais duro e dolorido, na avaliação do curador. O curta “Jonas, Só Mais Um” (2008) nos faz relembrar do assassinato do microempresário Jonas Eduardo Santos de Souza. “Dona Sônia Pediu uma Arma a Seu Vizinho Alcides” (2014) nos aproxima de uma mãe – católica fervorosa – que reage à morte violenta do filho. “Chico” (2016) parte de uma estética que parece dialogar com o favela movie para, por fim, transbordar em um lúdico que oferece esperanças. “Preto” (2015) constrói um universo de imagens que, organizadas por uma montagem cuidadosa, nos convida a entender a busca de um rapaz negro por sua identidade familiar e racial. Para encerrar o programa, “Número e Série” (2015), em que a inventividade infantil dá o tom.

Raízes é um programa em que são articuladas, por meio de abordagens bastante diversas, ideias acerca de passado e cultura negra brasileira, tendo o samba como uma expressão destacada. A abertura é feita em “Dia de Alforria” (1981), documentário que se alimenta da força da oratória do compositor Aniceto do Império, que traz em sua música uma memória racial vívida. “Para se Contar uma História” (2013) funciona como registro da resistência das mulheres negras na comunidade quilombola Santiago do Iguape (BA). “Gurufim na Mangueira” (2000) acompanha um enterro, com especial atenção ao místico e à permanência. Para encerrar o programa, “Rainha” (2016), filme ao mesmo tempo familiar e estranho, nos aproxima e distancia da preparação de uma aspirante a rainha da bateria.

Diáspora apresenta curtas que aspiram a um diálogo com o continente africano, seja com as reminiscências de um passado imemorial, seja por meio de atores do presente. “Um Poema para Quenum” (2008) faz uma conexão poética entre a produção de excessos no Brasil e a obra do escultor beninense Gérard Quenum. “Pontes sobre Abismos” (2017) combina diferentes procedimentos de encenação, distribuindo as imagens captadas em três diferentes telas. “La Santa Cena” (2015), documentário filmado em Cuba, observa com sobriedade a presença do sagrado no cotidiano de uma família negra através de um ritual alimentar. “Merê” (2017) recupera a atuação determinante de mulheres negras à frente de terreiros de candomblé Jeje Mahi. “Travessia” (2017) é um documentário sobre a imagem ausente, que utiliza as fotografias de pessoas negras no século 19 e começo do 20 e fotos posadas feitas pelo próprio curta. Para encerrar o programa, “Eu Tenho a Palavra” (2010) estabelece reminiscências linguísticas do umbundo no português rural falado numa cidade do interior de Minas Gerais.

Corpo reúne filmes em que o corpo negro apresenta-se como espaço de disputa e fabulação, de dor e de invenção. “Alma no Olho” (1973) abre o programa. Em dez minutos, o curta faz uma viagem por 400 anos da história do negro que foi arrastado para o Brasil e o que ele construiu aqui. “Elekô” (2015) utiliza o encontro de mulheres negras como instância de cura e ressignificação do espaço do porto no Rio de Janeiro. “O Rito de Ismael Ivo” (2003) é marcado pela liberdade do corpo e a intervenção poética no mundo. “BR3” (2018) frequenta os aspectos interseccionais da transexualidade e se mostra uma crônica fabulada do cotidiano. Fechando o programa está “Kbela” (2015), que parte do legado estético de “Alma no Olho” e o coloca em diálogo com a potência criativa da mulher negra na contemporaneidade.

Inéditos

As duas outras mostras especiais do 20º FESTCURTASBH permitirão ao público conhecer a obra de duas cineastas negras de diferentes países e gerações, cujos trabalhos serão exibidos pela primeira vez no Brasil.

A Mostra Akosua Adoma Owusu apresenta nove filmes da premiada cineasta e produtora ganesa-americana, cujo trabalho circula em festivais de cinema, museus, galerias, universidades em todo o mundo desde 2005. Seus filmes abordam questões relacionadas à cultura negra, atravessadas por outros temas como feminismo, queerness e imigração.

Já a Mostra Tributo a Safi Faye será dedicada à diretora de cinema e etnóloga senegalesa, que foi a primeira realizadora negra africana a dirigir filmes e lançá-los comercialmente. Serão duas sessões especiais apresentando curtas raramente exibidos e que expressam a força do trabalho dessa pioneira, atuante desde os anos 1970. Ao longo de sua carreira, Safi Faye dirigiu vários documentários e filmes de ficção com foco na vida rural no Senegal.

Akosua Adoma Owusu estará presente para comentar a sessão e debater com o público, Já as sessões do Tributo a Safi Faye contarão com o comentário da pesquisadora e curadora Janaína Oliveira, que tem desenvolvido um importante trabalho de discussão e difusão do cinema negro no Brasil, além de ser fundadora coordenadora do FICINE – Fórum Itinerante de Cinema Negro.

Mostras Competitivas e Paralelas

As já tradicionais Mostras Competitivas Minas, Brasileira e Internacional, que trazem produções recentes nacionais e estrangeiras, premiarão os melhores curtas com prêmios em dinheiro e o Troféu Capivara. Os resultados serão anunciados no dia 19 de agosto, com a exibição dos curtas-metragens premiados no festival.

Numa seleção que propõe outras formas de articular debates em torno dos filmes contemporâneos, as mostras paralelas Atravessamentos – memória da matéria, acessos alterados; Extravasamentos – torções do artifício, maneiras de saltar e Mulher – Corpo Político abordam e friccionam temas que incidem fortemente no presente, mesmo quando recorrendo à memória: à guerra, à diáspora, à política dos corpos, às torções do artifício ou à necessidade de reparação histórica.

O público poderá conferir ainda as já aguardadas mostras Juventudes, Animação e Infantil, com curtas voltados para o público infanto-juvenil e Maldita, com filmes que exploram o horror, o terror e o humor negro e abordam de forma diferenciada diversos temas.

Cabines de Exibição

Todos os filmes exibidos no FESTCURTASBH (exceto das Mostras Especiais) serão disponibilizados também em cabines individuais durante todo o evento. As cabines serão instaladas na antiga livraria do Palácio das Artes e sua utilização é gratuita.

Oficinas e Seminário

O 20º FESTCURTASBH realiza, ainda, várias atividades formativas. “Filme como arte colaborativa – Oficina híbrida de mídia e performance” será ministrada pela realizadora norte-americana Lynne Sachs. A “Oficina de Crítica de Cinema – Por um deslocamento do olhar”, será realizada pela pesquisadora e crítica de cinema pernambucana Carol Almeida. E o Seminário “O negro e o cinema brasileiro: Representação e Representatividade, Presenças e Ausências” terá como ministrante o crítico de cinema Heitor Augusto.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

1º Dia – Sexta-Feira, 10/08/2018

            20:00 – Sessão de Abertura – Classificação Livre – 57’

            Travessia (Crossing), de Safira Moreira, Rio de Janeiro, 2017, 5’

Me Broni Ba (My White Baby / Meu Bebê Branco), de Akosua Adoma Owusu, Gana, 2009, 22’

Selbé et tant d’autres (Selbé e tantas outras), de Safi Faye, Senegal,1983/2017, 30’

Além dos filmes, o FestCurtas terá muita música. Na noite de abertura, dialogando com a temática central do festival, “Cinema Negro”, o projeto Bala da Palavra unirá tambores, melodias e rimas: a banda propõe um mergulho na alma da música popular brasileira a partir de releituras de grandes mestres da MPB como João Bosco, Chico Buarque, Milton Nascimento, Clementina de Jesus, Caetano Veloso, Marku Ribas, entre outros. Entre o rap, o baião, o ijexá, o reggae, o maracatu e o jongo, a magia das canções se desenrola tocando forte no público.

A apresentação acontece às 22h30, no Jardim Interno do Palácio das Artes. Entre a última exibição do dia e o show haverá ainda discotecagem. Os ingressos para todas as atrações poderão ser retirados a partir das 19h30, na bilheteria do Cine Humberto Mauro, sujeito à lotação dos espaços.

2º Dia – Sábado, 11/08/2018

Cine Humberto Mauro:

15:00 – Sessão Atravessamentos: Memória da matéria, acessos alterados | Crossings: memory of matter, altered accesses | 84’ | Classificação: 12 anos

Russa, de João Salaviza e Ricardo Alves Jr., Portugal/ Brasil, 2018, 20’

Phantasiesätze (Fantasy Sentences), de Dane Komljen, Alemanha/ Dinamarca, 2017, 17’

Silica, de Pia Borg, Austrália/ Reino Unido, 2017, 23’

3 Dreams Of Horses (3 Sonhos de Cavalos), de Mike Hoolboom, Canadá, 2018, 6’

Screen (Tela), de Christoph Girardet e Matthias Müller, Alemanha, 2018, 18’

17:00 – Tributo a (Tribute To) Safi Faye | Programa 1 | 57’ | Classificação: Livre*

Selbé et tant d’autres (Selbé e tantas outras), de Safi Faye, Senegal,1983/2017, 30’

Tesito, de Safi Faye, França, 1989, 27’

*Sessão comentada por (presented by): Janaína Oliveira

19:00 – Competitiva Internacional | international competition | Programa 1 | 81’ | 12 anos

Farpões Baldios (Barbs, Wastelands), de Marta Mateus, Portugal, 2017, 25’

Ride Like Lightning, Crash Like Thunder (Dirigir Como Raio, Bater Como um Trovão), de Fern Silva, Estados Unidos, 2017, 9’

Evidence Of The Evidence (Prova de uma Prova), de Alexander Johnston, Estados Unidos, 2017, 22’

Palenque, de Sebastián Pinzón Silva, Colômbia/ Estados Unidos, 2017, 25’

21:00 – Competitiva Internacional | Programa 2 | 71’ | 12 anos

I am Sheriff (Eu sou Sheriff), de Teboho Edkins, África do Sul, Lesoto, 2017, 29’

Paradise Loop (Paraíso em Loop), de Alain Garcia Vergara, França, 2017, 10’

Oh Brother Octopus (Ó, Irmão Polvo), de Florian Kunert, Alemanha, 2017, 27’

Armageddon 2, de Corey Hughes, Cuba, 2017, 5’

23:00 –  Sessão Maldita | 97’ | Classificação: 16 anos

Lost Paradise Lost (Perdido Paraíso Perdido), de Yan Giroux, Canadá, 2017, 25’

Anawohoru (Digger / Escavador), de Kengo Yagawa, 2017, Japão,16’

Super Estrela Prateada (Super Silver Star), de Leonardo Branco, MG – Brasil, 2018, 28’

Tsunami Guanabara, de Cleyton Xavier e Lyna Lurex, RJ, CE – Brasil, 2018, 28’

Sala Juvenal Dias:

18:00 – Sessão Mulher Corpo Político | 83’ | Classificação: 14 anos

Um Corpo Feminino (A Female Body), de Thais Fernandes, RS- Brasil, 2018, 20’

Eu me preocupo (I Worry), de Paulo Silver, AL – Brasil, 2017, 19’

Tentei (I Tried), de Laís Melo, PR – Brasil, 2017, 15’

La Flor de La Lengua de Vaca (The Cow-Tongue Flower), de Germán Reyes Ruiz, Colômbia, 2018, 23’

20:00 – Sessão Extravasamentos: torções do artifício, maneiras de saltar | 71’ | Classificação: 12 anos

A Radical Film (Um Filme Radical), de Stefano Canapa, França. 2017, 3’

Challenge (Desafio), de Cyrielle Raingou, Camarões, 2018, 14’

Onward Lossless Follows (Seguir adiante sem perdas), de Michael Robinson, Estados Unidos, 2017, 17’,

The White Elephant (O Elefante Branco), de Shuruq Harb, Palestina, 2018, 12’

Confluence (Confluência), de Stefan Ramírez Pérez e Benjamin Perez, Alemanha/ Holanda/ Sérvia, 2018, 21’

Crack (Fenda), de Emilia Izquierdo, Reino Unido, 2018, 5’

3º Dia – Domingo, 12/08/2018

Cine Humberto Mauro:

15:30 – Mostra Juventudes | Programa 1 | 52’ | 14 anos

Admiração de João Garganta (Wonder of João Garganta), de Fernando Pereira dos Santos e Fábio Alcamino, SP/MG – Brasil, 2017, 7’

Kiem Holijanda, de Sarah Veltmeyer, Holanda, 2017, 14’

The Barber Shop (A Barbearia), de Emilien Cancet e Gustavo Almenara, França, 2017, 16’

Peripatético, de Jéssica Queiroz, SP – Brasil, 2017, 15’

17:00 – Tributo a SAFI FAYE | Programa 2 | 88’ | Classificação: Livre*

Les Âmes Au Soleil (As Almas Ao sol / Souls in the Sun), de Safi Faye, Nações Unidas Nova York, 1981, 27’

Ambassades Nourricières (Embaixadas Alimentares), de Safi Faye, França, 1984, 61’

*Sessão comentada por (presented by) Janaína Oliveira

19:00 – Competitiva Internacional | Programa 3 | 65’ | 16 anos*

Carolee, Barbara and Gunvor, de Lynne Sachs, Estados Unidos, 2018, 9’

The Men Behind The Wall (Os homens atrás do muro), de Ines Moldavsky, Israel, 2017, 29’

Los perros de Amundsen (Os cães de Amundsen), de Rafael Ramírez, Cuba, 2017, 27’

*Sessão seguida de conversa com a realizadora (followed by discussion with) Lynne Sachs

21:00 – Competitiva Internacional | Programa 4 | 68’ | 16 anos

Wishing Well (Poço dos desejos), de Sylvia Schedelbauer, Alemanha, 2018,13’

Optimism (Otimismo), de Deborah Stratman, Estados Unidos/ Canadá, 2018, 15’

Antônio e Catarina, de Cristina Hanes, Portugal, 2017, 40’

Sala Juvenal Dias:

16:00 – Mostra Juventudes | Programa 3 | 66’ | 16 anos

Hair Wolf (A Loba do Cabelo), de Mariama Diallo, Estados Unidos, 2017, 13’

Algum Romance Transitório (Some Fleeting Romance), de Caio Casagrande, RJ – Brasil, 2017, 17’

Tenn Meg På (Light Me Up/ Acenda-me), de Rebecca Wirkola Kjellmann, Noruega, 2017, 14’

Papsubeibet ikäkriisissä (Paper Babes – Age of Reason/ Bebês de Papel – Idade da Razão), de Anneli Nygren, Finlândia, 2017, 5’

Oasis, de Alejandro Zuno, México, 2017, 17’

18:00 – Competitiva Internacional | Programa 1 | 81’ | 12 anos

Farpões Baldios (Barbs, Wastelands), de Marta Mateus, Portugal, 2017, 25’

Ride Like Lightning, Crash Like Thunder (Dirigir como raio, bater como um trovão), de Fern Silva, Estados Unidos, 2017, 9’

Evidence Of The Evidence (Prova de uma Prova), de Alexander Johnston, Estados Unidos, 2017, 22’

Palenque, de Sebastián Pinzón Silva, Colômbia/ Estados Unidos, 2017, 25’

4º Dia – Segunda-Feira, 13/08/2018

Cine Humberto Mauro

09:00 – Mostra Infantil | Programa 1 | 47’ | 04 anos

Aniversário e Castigo (Birthday and Punishment), de Anderson Lima, MG/SP – Brasil, 2017, 10’

Tierra Sin Mal (Terra Sem Mal), de Katalin Egely, Hungria, Argentina, 2017, 4’

Plody Mraků (The Fruits of Clouds/ As Frutas das Nuvens), de Kateřina Karhánková, República Checa, 2017, 10’

Where is my moon? (Cadê a minha lua?), de Mi-Young Baek, Coreia do Sul, 2017, 7’

O Menino Leão e a Menina Coruja (The Lion Boy and The Owl Girl), de Renan Montenegro, DF – Brasil, 2017, 16’

 

14:00 – Seminário O negro e o cinema brasileiro: Representação e Representatividade, Presenças e Ausências

Ministrante: Heitor Augusto

 

17:00 – Mostra Cinema Negro: Capítulos de uma história fragmentada | Programa 01 – Família (Family) | 100’ | Classificação: 12 anos*

Aquém das Nuvens (Below the Clouds), de Renata Martins, São Paulo, 2010, 17’

O Som do Silêncio (The Sound of Silence), de David Aynan, Bahia, 2017, 17’

Deus (God), de Vinicius Silva, Rio Grande Sul/ São Paulo, 2016, 25’

O Dia de Jerusa (Jerusa’s Day), de Viviane Ferreira, São Paulo, 2014, 21’

Quintal (Backyard), de André Novais Oliveira, Minas Gerais, 2015, 20’

*Sessão seguida de comentário do curador (followed by curator’s commentary)

19:00 – Competitiva Minas | Programa 1 | 60’ | 12 anos*

Aniversário e Castigo (Birthday and Punishment), de Anderson Lima, Belo Horizonte – Minas Gerais/ São Paulo, 2017,10’

Anderson, de Rodrigo Meireles, Conselheiro Lafaiete – Minas Gerais, 2017, 20’

O Conto do Burro Amarelo (The Tale of The Yellow Donkey), de Daiana Mendes, Contagem – Minas Gerais, 2017, 30’

*Sessão seguida de conversa com a equipe dos filmes (followed by discussion with films crew)

21:00 – Competitiva Internacional | Programa 5 | 75’ | Livre

I Signed the Petition (Eu assinei a petição), de Mahdi Fleifel, Reino Unido/ Alemanha/ Suíça, 2018, 10’

Dėmės Ir Jbrėžimai (Stains and Scratches/ Manchas e Arranhões), de Deimantas Narkevičius, Lituânia, 2017, 8’

Solar Walk (Caminhada Solar), de Réka Bucsi, Dinamarca, 2018, 21’

Imfura, de Samuel Ishimwe, Ruanda/ Suíça, 2018, 36’

Sala Juvenal Dias:

16:00 – Competitiva Internacional | Programa 2 | 71’ | 12 anos

I am Sheriff (Eu sou Sheriff), de Teboho Edkins, África do Sul, Lesoto, 2017, 29’

Paradise Loop (Paraíso em Loop), de Alain Garcia Vergara, França, 2017, 10’

Oh Brother Octopus (Ó, Irmão Polvo), de Florian Kunert, Alemanha, 2017, 27’

Armageddon 2, de Corey Hughes, Cuba, 2017, 5’

18:00 – Competitiva Internacional | Programa 3 | 65’ | 16 anos

Carolee, Barbara and Gunvor, de Lynne Sachs, Estados Unidos, 2018, 9’

The Men Behind The Wall (Os Homens Atrás do Muro), de Ines Moldavsky, Israel, 2017, 29’

Los perros de Amundsen (Os cães de Amundsen), de Rafael Ramírez, Cuba, 2017, 27’

20:00 – Competitiva Internacional | Programa 4 | 68’ | 16 anos

Wishing Well (Poço dos desejos), de Sylvia Schedelbauer, Alemanha, 2018,13’

Optimism (Otimismo), de Deborah Stratman, Estados Unidos/ Canadá, 2018, 15’

Antônio e Catarina, de Cristina Hanes, Portugal, 2017, 40’

5º Dia – Terça-Feira, 14/08/2018

09:00 – Mostra Infantil | Programa 2 | 43’ | 06 anos

Dono de Casa (Househusband), de Anderson Lima, MG/ SP – Brasil, 2017, 8’

Pleure! (Cry!/ Chore!), de Laura Nicolas, Bélgica, 2017, 5’

Fazenda Rosa (Rosa Farm), de Chia Beloto, PE – Brasil, 2017, 9’

Moody Booty, de Kathrin Kuhnert, Alemanha, 2017, 3’

Dara – A Primeira vez que fui ao Céu (Dara – The First Time When I Went to Sky), de Renato Candido de Lima, SP/ BA – Brasil, 2017, 18’

10:00 – Mostra Animação | Programa 2 | 57’ | 14 anos

O Jezu! (Oh God / Oh, Deus), de Betina Bozek, Polônia, 2017, 4’

O Malabarista (The Juggler), Iuri Moreno, GO – Brasil, 2018, 11’

La traversée (The Journey/ A Travessia), de Emilie Cazimajou, França, 2017, 8’

Edge of Alchemy (A Fronteira da Alquimia), de Stacey Steers, Estados Unidos, 2017,19’

Fazenda Rosa (Rosa Farm), de Chia Beloto, PE – Brasil, 2017, 9’

Tiny Big (Minúsculo Grande), de Lia Bertels, Bélgica, 2017, 6’

 

14:00 – SEMINÁRIO| O negro e o cinema brasileiro: Representação e Representatividade, Presenças e Ausências | Black people and Brazilian cinema: Representation and Representativeness, Presences and Absences

Ministrante: Heitor Augusto

 

17:00 – Mostra Cinema Negro: Capítulos de uma história fragmentada | Programa 02 – Genocídio (Genocide) | 91’ | Classificação: 16 anos*

Jonas, Só Mais Um (Jonas, One More), de Jeferson De, Rio de Janeiro, 2008, 13’,

Dona Sônia Pediu uma Arma Para Seu Vizinho Alcides (Mrs Sônia Borrowed a Gun From Her Neighbor Alcides), de Gabriel Martins, Minas Gerais,2011, 18’

Chico, de Marcos Carvalho e Eduardo Carvalho, Rio de Janeiro, 2016, 23’

Preto (Color), de Elton de Almeida, São Paulo, 2015, 22’

Número e Série (Number and Grade), de Jéssica Queiroz, São Paulo, 2015, 15’

*Sessão seguida de comentário do curador (followed by curator’s commentary)

 

19:00 – Competitiva Minas | Programa 2 | 63’ | 12 anos*

Enrolado na Raiz (Curled to the Root), de Caracol, Viçosa – Minas Gerais, 2017, 23’

Impermeável Pavio Curto (Waterproof Wick), de Higor Gomes, Sabará – Minas Gerais, 2018, 20’

Maravilhosa (Fabulous), de Augusto Brasil, Belo Horizonte – Minas Gerais, 2017, 20’

*Sessão seguida de conversa com a equipe dos filmes (followed by discussion with films crew)

 

21:00 – Competitiva Minas | Programa 3 | 54’ | 14 anos*

Os Que Se Vão (Those Who Wander), de Clarissa Campolina e Luiz Pretti, Belo Horizonte – Minas Gerais, 2018, 24’

A Chinesa de Riad (The Chinese from Riad), de Leonardo Amaral e Roberto Cotta, Belo Horizonte – Minas Gerais, 2018, 15’

Alma Bandida (The Hooligan Soul), de Marco Antônio Pereira, 15’, Cordisburgo – Minas Gerais, 2018, 15’

*Sessão seguida de conversa com a equipe dos filmes (followed by discussion with films crew)

Sala Juvenal Dias:

16:00 – Competitiva Minas| Programa 1 | 60’ | 12 anos

Aniversário e Castigo (Birthday and Punishment), de Anderson Lima, Belo Horizonte – Minas Gerais/ São Paulo, 2017,10’

Anderson, de Rodrigo Meireles, Conselheiro Lafaiete – Minas Gerais, 2017, 20’

O Conto do Burro Amarelo (The Tale of The Yellow Donkey), de Daiana Mendes, Contagem – Minas Gerais, 2017, 30’

18:00 – Competitiva Internacional| Programa 5 | 75’ | Livre

I Signed the Petition (Eu assinei a petição), de Mahdi Fleifel, Reino Unido/ Alemanha/ Suíça, 2017, 10’

Dėmės Ir Jbrėžimai (Stains and Scratches/ Manchas e Arranhões), de Deimantas Narkevičius, Lituânia, 2017, 8’

Solar Walk (Caminhada Solar), de Réka Bucsi, Dinamarca, 2018, 21’

Imfura, de Samuel Ishimwe, Ruanda/ Suíça, 2018, 36’

20:00 – Mostra Cinema Negro: Capítulos de uma história fragmentada | Programa 01 – Família (Family) | 100’ | Classificação: 12 anos

Aquém das Nuvens (Below the Clouds), de Renata Martins, São Paulo, 2010, 17’

O Som do Silêncio (The Sound of Silence), de David Aynan, Bahia, 2017, 17’

Deus (God), de Vinicius Silva, Rio Grande Sul/ São Paulo, 2016, 25’

O Dia de Jerusa (Jerusa’s Day), de Viviane Ferreira, São Paulo, 2014, 21’

Quintal (Backyard), de André Novais Oliveira, Minas Gerais, 2015, 20’

6º Dia – Quarta-Feira, 15/08/2018

10:00 – Mostra Infantil | Programa 1 | 47’ | 04 anos

Aniversário e Castigo (Birthday and Punishment), de Anderson Lima, MG/SP – Brasil, 2017, 10’

Tierra Sin Mal (Terra Sem Mal), de Katalin Egely, Hungria, Argentina, 2017, 4’

Plody Mraků (The Fruits of Clouds/ As Frutas das Nuvens), de Kateřina Karhánková, República Checa, 2017, 10’

Where is my moon? (Cadê a minha lua?), de Mi-Young Baek, Coreia do Sul, 2017, 7’

O Menino Leão e a Menina Coruja (The Lion Boy and The Owl Girl), de Renan Montenegro, DF – Brasil, 2017, 16’

14:00 – SEMINÁRIO O negro e o cinema brasileiro: Representação e Representatividade, Presenças e Ausências

Ministrante (Lecturer): Heitor Augusto

17:00 – Mostra Cinema Negro: Capítulos de uma história fragmentada | Programa 03 – Raízes (Roots) | 93’ | Classificação: 14 anos*

Aniceto do Império em Dia de Alforria (Aniceto from Império On a Day of Emancipation), de Zózimo Bulbul, Rio de Janeiro, 1981, 12’

Pra Se Contar uma História (To Tell a Story), de Elen Linth, Lucicleide Santos, Diego Jesus, Leandro Rodrigues, Bahia, 2013, 25’

Gurufim na Mangueira (A Funeral at the Samba School), de Danddara, Rio de Janeiro, 2000, 26’

Rainha (Queen), de Sabrina Fidalgo, Rio de Janeiro, 2016, 30’

*Sessão seguida de comentário do curador (followed by curator’s commentary)

19:00 – Competitiva Brasil | Programa 1 | 76’ | 18 anos*

As Melhores Noites de Veroni (The Best Nights of Veroni), de Ulisses Arthur, 16’, Alagoas, 2017, 16’

Vaca Profana (Profane Cow), de René Guerra, São Paulo, 2017, 17’

Inocentes (Innocents), de Douglas Soares, Rio de Janeiro, 2017, 18’

Perpétuo (Perpetual), de Lorran Dias, Rio de Janeiro, 2018, 25’

*Sessão seguida de conversa com a equipe dos filmes (followed by discussion with films crew)

21:10 – Competitiva Brasil | Programa 2 | 65’ | Livre*

Maré (Magrove), de Amaranta César, Bahia, 2018, 22’

Entre Parentes (The Clash), de Tiago de Aragão, Distrito Federal, 2018, 28’

A retirada para um coração bruto (The Last Song For a Rude Heart), de Marco Antônio Pereira, Minas Gerais, 2017, 15’

*Sessão seguida de conversa com a equipe dos filmes (followed by discussion with films crew)

Sala Juvenal Dias:

16:00 – Competitiva Minas| Programa 2 | 63’ | 12 anos

Enrolado na Raiz (Curled to the Root), de Caracol, Viçosa – Minas Gerais, 2017, 23’

Impermeável Pavio Curto (Waterproof Wick), de Higor Gomes, Sabará – Minas Gerais, 2018, 20’

Maravilhosa (Fabulous), de Augusto Brasil, Belo Horizonte – Minas Gerais, 2017, 20’

 

18:00 – Competitiva Minas | Programa 3 | 54’ | 14 anos

Os Que Se Vão (Those Who Wander), de Clarissa Campolina e Luiz Pretti, Belo Horizonte – Minas Gerais, 2018, 24’

A Chinesa de Riad (The Chinese from Riad), de Leonardo Amaral e Roberto Cotta, Belo Horizonte – Minas Gerais, 2018, 15’

Alma Bandida (The Hooligan Soul), de Marco Antônio Pereira, 15’, Cordisburgo – Minas Gerais, 2018, 15’

20:00 – Mostra Cinema Negro: Capítulos de uma história fragmentada | Programa 02 – Genocídio (Genocide) | 91’ | Classificação: 16 anos

Jonas, Só Mais Um (Jonas, One More), de Jeferson De, Rio de Janeiro, 2008, 13’,

Dona Sônia Pediu uma Arma Para Seu Vizinho Alcides (Mrs Sônia Borrowed a Gun From Her Neighbor Alcides), de Gabriel Martins, Minas Gerais,2011, 18’

Chico, de Marcos Carvalho e Eduardo Carvalho, Rio de Janeiro, 2016, 23’

Preto (Color), de Elton de Almeida, São Paulo, 2015, 22’

Número de Série (Number and Grade), de Jéssica Queiroz, São Paulo, 2015, 15’

Para quem pensa que a programação do 20º FESTCURTASBH dará uma pausa no feriado do dia 15 de agosto, ledo engano. As atividades iniciam às 10 horas com as exibições dos curtas, oficina e seminário, e só encerram a noite. Às 22 horas, o Deputamadre (Avenida do Contorno, 2028, Floresta), será palco da apresentação do coletivo AYO!

Nascido do ritmo e do verbo, o AYO (Do Yorubá da Nigéria) é um estalo do movimento negro e periférico da cena eletrônica de Belo Horizonte. Através da dança e rituais que trabalham o corpo e libertam a mente, o coletivo exalta o seu verdadeiro significado, a alegria. O coletivo é formado por seis artistas negros da capital mineira e iniciou sua atuação este ano.

7º Dia – Quinta-Feira, 16/08/2018

Cine Humberto Mauro:

09:00 – Mostra Infantil| Programa 3 | 42’ | 06 anos

Dia das Nações (International Day), de Iuli Gerbase, RS – Brasil, 2018,12’

The Theory Of Sunset (A Teoria do Pôr do Sol), de Roman Sokolov, Rússia, 2017, 9’

Tiny Big (Minúsculo Grande), de Lia Bertels, Bélgica, 2017, 6’

Yover, de Edison Sanchez, Colômbia, 2018, 15’

10:00 – Mostra Juventudes | Programa 1 | 52’ | 14 anos*

Admiração de João Garganta (Wonder of João Garganta), de Fernando Pereira dos Santos e Fábio Alcamino, SP/MG – Brasil, 2017, 7’

Kiem Holijanda, de Sarah Veltmeyer, Holanda, 2017, 14’

The Barber Shop (A Barbearia), de Emilien Cancet e Gustavo Almenara, França, 2017, 16’

Peripatético, de Jéssica Queiroz, SP – Brasil, 2017, 15’

*Sessão-escola seguida de conversa com a realizadora (followed by discussion with) Jéssica Queiroz

14:00 – Mostra Juventudes | Programa 2 | 68’ | 14 anos

Saladdin Castique, de Anssi Kasitonni, Finlândia, 2018, 6’

Baran, de Hasan Serin, Turquia, 2017, 14’

Un Point Dans La Foule (Passing Through/ Um Ponto na Multidão), de Frédéric Bernard, França, 2017, 18’

Câm Lặng (The Mute/ A Muda), de Pham Thien An, Vietnã, 2018, 15’

Apenas o Que Você Precisa Saber Sobre Mim (Only What You Need To Know About Me), de Maria Augusta V. Nunes, SC – Brasil, 2018, 15’

15:30 – Mostra Animação| Programa 1 | 59’ | Classificação: 16 anos

Contrastes – Impressões de Israel (Contrasts – Impressions of Israel), de Jackson Abacatu, MG – Brasil, 2018’ 10’

Airport (Aeroporto), de Michaela Müller, Suíça/ Croácia, 2017, 11’

Hégémonie Du Vide (A Blank Control / Hegemonia do Vazio), de Maëva Jacques, Bélgica, 2017, 7’

Yal va Koopal (Maned & Macho), de Shiva Sadegh Asadi, Irã, 2017, 11’

Žltá (Yellow/ Amarelo), de Ivana Šebestová, Eslováquia, 2018, 7’

Love He Said (Amor, disse ele), de Inés Sedan, França, 2018, 6’

Happy (Feliz), de Alice Saey, França/ Holanda, 2017, 7’

17:00 – Mostra Cinema Negro: Capítulos de uma história fragmentada | Black Brazilian Cinema: Episodes of a Fragmented History | Programa 04 – Diáspora (Diaspora) | 82’ | Classificação: 14 anos*

Um Poema Para Quenum (A Poem for Quenum), Carmen Luz, Rio de Janeiro, 2009, 10’

Pontes Sobre Abismos (Bridge Over the Abyss), de Aline Motta, Rio de Janeiro, 2017, 9’

La Santa Cena (The Holy Supper/ A Santa Ceia), de Everlane Moraes, San Antonio de Los Baños – Cuba, 2017, 15’

Merê, de Urânia Munzanzu, Bahia, 2017, 17’

Travessia (Crossing), de Safira Moreira, Rio de Janeiro, 2017, 5’

Eu Tenho a Palavra (I Have the Word), de Lilian Solá Santiago, São Paulo, 2010, 26’

*Sessão seguida de comentário do curador (followed by curator’s commentary)

19:00 – Competitiva Brasil | Programa 3 | 72’ | 12 anos*

A passagem do cometa (The Passage of the Comet), de Juliana Rojas, São Paulo, 2017, 20’

De tanto olhar o céu gastei meus olhos (Burried Sky), de Nathália Tereza, Mato Grosso do Sul, 2017, 25’

NoirBLUE: Deslocamentos de uma dança (NoirBLUE: Displacements of a Dance), de Ana Pi, Minas Gerais – Brasil / França, 2017, 27’

*Sessão seguida de conversa com a equipe dos filmes (followed by discussion with films crew)

21:00 – DEBATE | Arte e Arte(s) Negra(s): Cinema, Teatro e Artes Plásticas | Com: Hélio Menezes, Kênia Freitas, Marcos Alexandre e Soraya Martins | Mediação / mediator: Heitor Augusto

Sala Juvenal Dias:

16:00 – Competitiva Brasil | Programa 1 | 76’ | 18 anos

As Melhores Noites de Veroni (The Best Nights of Veroni), de Ulisses Arthur, 16’, Alagoas, 2017, 16’

Vaca Profana (Profane Cow), de René Guerra, São Paulo, 2017, 17’

Inocentes (Innocents), de Douglas Soares, Rio de Janeiro, 2017, 18’

Perpétuo (Perpetual), de Lorran Dias, Rio de Janeiro, 2018, 25’

18:00 – Competitiva Brasil | Programa 2 | 65’ | Livre

Maré (Magrove), de Amaranta César, Bahia, 2018, 22’

Entre Parentes (The Clash), de Tiago de Aragão, Distrito Federal, 2018, 28’

A retirada para um coração bruto (The Last Song For a Rude Heart), de Marco Antônio Pereira, Minas Gerais, 2017, 15’

20:00 – Mostra Cinema Negro: Capítulos de uma história fragmentada | Programa 03 – Raízes | 93’ | Classificação: 14 anos

Aniceto do Império em Dia de Alforria (Aniceto from Império On a Day of Emancipation), de Zózimo Bulbul, Rio de Janeiro, 1981, 12’

Pra Se Contar uma História (To Tell a Story), de Elen Linth, Lucicleide Santos, Diego Jesus, Leandro Rodrigues, Bahia, 2013, 25’

Gurufim na Mangueira (A Funeral at the Samba School), de Danddara, Rio de Janeiro, 2000, 26’

Rainha (Queen), de Sabrina Fidalgo, Rio de Janeiro, 2016, 30’

8º Dia – Sexta-Feira, 17/08/2018

Cine Humberto Mauro:

09:00 – Mostra Infantil| Programa 2 | 43’ | 06 anos

Dono de Casa (Househusband), de Anderson Lima, MG/ SP – Brasil, 2017, 8’

Pleure! (Cry!/ Chore!), de Laura Nicolas, Bélgica, 2017, 5’

Fazenda Rosa (Rosa Farm), de Chia Beloto, PE – Brasil, 2017, 9’

Moody Booty, de Kathrin Kuhnert, Alemanha, 2017, 3’

Dara – A Primeira vez que fui ao Céu (Dara – The First Time When I Went to Sky), de Renato Candido de Lima, SP/ BA – Brasil, 2017, 18’

10:00 – Mostra Juventudes | Programa 2 | 68’ | 14 anos

Saladdin Castique, de Anssi Kasitonni, Finlândia, 2018, 6’

Baran, de Hasan Serin, Turquia, 2017, 14’

Un Point Dans La Foule (Passing Through/ Um Ponto na Multidão), de Frédéric Bernard, França, 18’

Câm Lặng (The Mute/ A Muda), de Pham Thien An, Vietnã, 2018, 15’

Apenas o Que Você Precisa Saber Sobre Mim (Only What You Need To Know About Me), de Maria Augusta V. Nunes, SC – Brasil, 2018, 15’

14:00 – Mostra Juventudes | Programa 3 | 66’ | 16 anos

Hair Wolf (A Loba do Cabelo), de Mariama Diallo, Estados Unidos, 2017, 13’

Algum Romance Transitório (Some Fleeting Romance), de Caio Casagrande, RJ – Brasil, 2017, 17’

Tenn Meg På (Light Me Up/ Acenda-me), de Rebecca Wirkola Kjellmann, Noruega, 2017, 14’

Papsubeibet ikäkriisissä (Paper Babes – Age of Reason/ Bebês de Papel – Idade da Razão), de Anneli Nygren, Finlândia, 2017, 5’

Oasis, de Alejandro Zuno, México, 2017, 17’

15:30 – Mostra Juventudes | Programa 2 | 57’ | 14 anos

O Jezu! (Oh God / Oh, Deus), de Betina Bozek, Polônia, 2017, 4’

O Malabarista (The Juggler), Iuri Moreno, GO – Brasil, 2018, 11’

La traversée (The Journey/ A Travessia), de Emilie Cazimajou, França, 2017, 8’

Edge of Alchemy (A Fronteira da Alquimia), de Stacey Steers, Estados Unidos, 2017,19’

Fazenda Rosa (Rosa Farm), de Chia Beloto, PE – Brasil, 2017, 9’

Tiny Big (Minúsculo Grande), de Lia Bertels, Bélgica, 2017, 6’

17:00 – Mostra Cinema Negro: Capítulos de uma história fragmentada | | Programa 05 – Corpo (Body) | 76’ | Classificação: 16 anos*

Alma no Olho (Soul in The Eye), de Zózimo Bulbul, Rio de Janeiro,1974, 11’

Elekô, Direção coletiva/ Mulheres de Pedra, Rio de Janeiro, 2015, 6’

O Rito de Ismael Ivo (The Rite of Ismael Ivo), de Ari Cândido Fernandes, São Paulo, 2003, 13’

BR3, de Bruno Ribeiro, Rio de Janeiro, 2018, 23’

Kbela, de Yasmin Thainá, Rio de Janeiro, 2015, 23’

*Sessão seguida de comentário do curador (followed by curator’s commentary)

19:00 – Competitiva Brasil | Programa 4 | 71’ | 18 anos*

Mamata, de Marcus Curvelo, Bahia, 2017, 29’

Sweet Heart, de Amina Jorge, São Paulo, 2018, 21’

Inconfissões (Unconfessions), de Ana Galizia, Rio de Janeiro, 2017, 21’

*Sessão seguida de conversa com a equipe dos filmes (followed by discussion with films crew)

21:10 – Competitiva Brasil | Programa 5 | 78’ | 12 anos*

Torre (Tower), de Nadia Mangolini, São Paulo, 2017, 18’

Nome de Batismo – Alice (Name of Baptism – Alice), de Tila Chitunda, Pernambuco, 2017, 25’

Estamos Todos Aqui (We are all here), de Chico Santos e Rafael Mellim, São Paulo, 2017/2018, 20’

Peripatético, de Jéssica Queiroz, São Paulo, 2017, 15’

*Sessão seguida de conversa com a equipe dos filmes (followed by discussion with films crew)

Sala Juvenal Dias

16:00 – Sessão Atravessamentos: Memória da matéria, acessos alterados | 84’ | Classificação: 12 anos

Russa, de João Salaviza e Ricardo Alves Jr., Portugal/ Brasil, 2018, 20’

Phantasiesätze (Fantasy Sentences), de Dane Komljen, Alemanha/ Dinamarca, 2017, 17’

Silica, de Pia Borg, Austrália/ Reino Unido, 23’, 2017

3 Dreams Of Horses (3 Sonhos de Cavalos), de Mike Hoolboom, Canadá, 2018, 6’

Screen (Tela), de Christoph Girardet e Matthias Müller, Alemanha, 2018, 18’

18:00 – Competitiva Brasil| Programa 3 | 72’ | 12 anos

A passagem do cometa (The Passage of the Comet), de Juliana Rojas, São Paulo, 2017, 20’

De tanto olhar o céu gastei meus olhos (Burried Sky), de Nathália Tereza, Mato Grosso do Sul, 2017, 25’

NoirBLUE: Deslocamentos de uma dança (NoirBLUE: Displacements of a Dance), de Ana Pi, Minas Gerais – Brasil / França, 2017, 27’

20:00 – Mostra Cinema Negro: Capítulos de uma história fragmentada | Programa 04 – Diáspora (Diaspora) | 82’ | Classificação: 14 anos

Um Poema Para Quenum (A Poem for Quenum), Carmen Luz, Rio de Janeiro, 2009, 10’

Pontes Sobre Abismos (Bridge Over the Abyss), de Aline Motta, Rio de Janeiro, 2017, 9’

La Santa Cena (The Holy Supper/ A Santa Ceia), de Everlane Moraes, San Antonio de Los Baños – Cuba, 2017, 15’

Merê, de Urânia Munzanzu, Bahia, 2017, 17’

Travessia (Crossing), de Safira Moreira, Rio de Janeiro, 2017, 5’

Eu Tenho a Palavra (I Have the Word), de Lilian Solá Santiago, São Paulo, 2010, 26’

9º Dia – Sábado, 18/08/2018

10:00 – Mostra Infantil| Programa 1 | 47’ | 04 anos

Aniversário e Castigo (Birthday and Punishment), de Anderson Lima, MG/SP – Brasil, 2017, 10’

Tierra Sin Mal (Terra Sem Mal), de Katalin Egely, Hungria, Argentina, 2017, 4’

Plody Mraků (The Fruits of Clouds/ As Frutas das Nuvens), de Kateřina Karhánková, República Checa, 2017, 10’

Where is my moon? (Cadê a minha lua?), de Mi-Young Baek, Coreia do Sul, 2017, 7’

O Menino Leão e a Menina Coruja (The Lion Boy and The Owl Girl), de Renan Montenegro, DF – Brasil, 2017, 16’

 

11:00 – Mostra Infantil | Programa 3 | 42’ | 06 anos

Dia das Nações (International Day), de Iuli Gerbase, RS – Brasil, 2018,12’

The Theory Of Sunset (A Teoria do Pôr do Sol), de Roman Sokolov, Rússia, 2017, 9’

Tiny Big (Minúsculo Grande), de Lia Bertels, Bélgica, 2017, 6’

Yover, de Edison Sanchez, Colômbia, 2018, 15’

15:00 – Sessão Extravasamentos: torções do artifício, maneiras de saltar | Overflowings: Artifice twistings, ways of jumping | 71’ | Classificação: 12 anos

A Radical Film (Um Filme Radical), de Stefano Canapa, França. 2017, 3’

Challenge (Desafio), de Cyrielle Raingou, Camarões, 2018, 14’

Onward Lossless Follows (Seguir adiante sem perdas), de Michael Robinson, Estados Unidos, 2017, 17’,

The White Elephant (O Elefante Branco), de Shuruq Harb, Palestina, 2018, 12’

Confluence (Confluência), de Stefan Ramírez Pérez e Benjamin Perez, Alemanha/ Holanda/ Sérvia, 2018, 21’

Crack (Fenda), de Emilia Izquierdo, Reino Unido, 2018, 5’

16:30 – Mostra AKOSUA ADOMA OWUSU | Programa 1 | 50’ | Classificação: Livre*

Intermittent Delight (Deleite Intermitente), de Akosua Adoma Owusu, Estados Unidos/ Gana, 2007, 4’

Split Ends, I Feel Wonderful (Pontas Duplas, Sinto-me Maravilhosa), de Akosua Adoma Owusu, Estados Unidos / Gana, 2012, 4’

Bus Nut (Fanática Por Ônibus), de Akosua Adoma Owusu, Estados Unidos, 2015, 7’

Drexciya, de Akosua Adoma Owusu, Gana, 2009’, 12’

Me Broni Ba (My White Baby / Meu Bebê Branco), de Akosua Adoma Owusu, Gana, 2009, 22’

*Sessão seguida de conversa com a realizadora (followed by discussion with filmmaker)

20:00 – SESSÃO DE ENCERRAMENTO E PREMIAÇÃO

Sala Juvenal Dias:

16:00 – Competitiva Brasil| Programa 4 | 71’ | 18 anos

Mamata, de Marcus Curvelo, Bahia, 2017, 29’

Sweet Heart, de Amina Jorge, São Paulo, 2018, 21’

Inconfissões (Unconfessions), de Ana Galizia, Rio de Janeiro, 2017, 21’

18:00 – Mostra Cinema Negro: Capítulos de uma história fragmentada | Programa 05 – Corpo (Body) | 76’ | Classificação: 16 anos

Alma no Olho (Soul in The Eye), de Zózimo Bulbul, Rio de Janeiro,1974, 11’

Elekô, Direção coletiva/ Mulheres de Pedra, Rio de Janeiro, 2015, 6’

O Rito de Ismael Ivo (The Rite of Ismael Ivo), de Ari Cândido Fernandes, São Paulo, 2003, 13’

BR3, de Bruno Ribeiro, Rio de Janeiro, 2018, 23’

Kbela, de Yasmin Thainá, Rio de Janeiro, 2015, 23’

10º Dia – Domingo, 19/08/2018

15:00 – Sessão Mulher Corpo Político | 83’ | Classificação: 14 anos

Um Corpo Feminino (A Female Body), de Thais Fernandes, RS- Brasil, 2018, 20’

Eu me preocupo (I Worry), de Paulo Silver, AL – Brasil, 2017, 19’

Tentei (I Tried), de Laís Melo, PR – Brasil, 2017, 15’

La Flor de La Lengua de Vaca (The Cow-Tongue Flower), de Germán Reyes Ruiz, Colômbia, 2018, 23’

17:00 – Mostra AKOSUA ADOMA OWUSU | Programa 2 | 55’ | Classificação: 14 anos*

Mahogany Too (Mahogany Também), de Akosua Adoma Owusu, Estados Unidos/ Gana, 2018, 8’

On Monday of Last Week (Segunda-Feira da Semana Passada), de Akosua Adoma Owusu, Estados Unidos, 2018, 14’

Reluctantly Queer (Relutantemente Queer), de Akosua Adoma Owusu, Gana/ Estados Unidos, 2016, 8’

Kwaku Ananse, de Akosua Adoma Owusu, Gana/ Estados Unidos/ México, 2013, 25’

*Sessão seguida de conversa com a realizadora (followed by discussion with filmmaker)

19:00 – SESSÃO PREMIADOS

Sala Juvenal Dias:

16:00 – Mostra Animação | Programa 1 | 59’ | Classificação: 16 anos

Contrastes – Impressões de Israel (Contrasts – Impressions of Israel), de Jackson Abacatu, MG – Brasil, 2018’ 10’

Airport (Aeroporto), de Michaela Müller, Suíça/ Croácia, 2017, 11’

Hégémonie Du Vide (A Blank Control / Hegemonia do Vazio), de Maëva Jacques, Bélgica, 2017, 7’

Yal va Koopal (Maned & Macho), de Shiva Sadegh Asadi, Irã, 2017, 11’

Žltá (Yellow/ Amarelo), de Ivana Šebestová, Eslováquia, 2018, 7’

Love He Said (Amor, disse ele), de Inés Sedan, França, 2018, 6’

Happy (Feliz), de Alice Saey, França/ Holanda, 2017, 7’

18:00 – Competitiva Brasil | Programa 5 | 78’ | 12 anos

Torre (Tower), de Nadia Mangolini, São Paulo, 2017, 18’

Nome de Batismo – Alice (Name of Baptism – Alice), de Tila Chitunda, Pernambuco, 2017, 25’

Estamos Todos Aqui (We are all here), de Chico Santos e Rafael Mellim, São Paulo, 2017/2018, 20’

Peripatético, de Jéssica Queiroz, São Paulo, 2017, 15’