Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Belo Horizonte recebe estreia nacional do espetáculo “Peça do Casamento”

Escrito por Edward Albee, um dos mais importantes dramaturgos do século XX, o texto ganha montagem com direção e adaptação de Guilherme Weber e é protagonizado pelos atores Eliane Giardini e Antônio Gonzalez
Por Redação Feira Cultural

Quando em 16 de setembro de 2016 o dramaturgo Edward Albee faleceu, aos 88 anos, nem todas as pessoas tinham conhecimento do legado que o escritor deixava com seus mais de 50 anos de atuação no teatro. Considerado o maior dramaturgo estadunidense e um dos mais consagrados da história, Albee é o autor de mais de 30 peças, alguns dos quais se tornaram rapidamente clássicos e foram premiados com as honrarias máximas do teatro contemporâneo, o Tony Awards e o Prêmio Pulitzer, como “The Sandbox” (1959), “Quem tem medo de Virgínia Woolf” (1962) e “Three Tall Women” (1991), que venceu o Prêmio Pulitzer de 1994.

Uma das obras mais consagradas do autor, mas que ainda não é muito conhecida pelo público brasileiro é a Peça do Casamento, que estreia sua temporada nacional na quarta-feira (15), em Belo Horizonte, no Centro Cultural Banco do Brasil. A peça conta com um time formado por nomes de peso das artes cênicas: Guilherme Weber assina a adaptação do texto e a direção da montagem, no elenco, Eliane Giardini e Antônio Gonzalez interpretam o casal prestes a se separar, a cenografia é assinada por Daniela Thomas e Camila Schmidt e a iluminação é do premiado Beto Bruel.

Todos os envolvidos com a montagem possuem trajetórias indiscutíveis e premiadas no teatro brasileiro. A “Peça do Casamento” fica em cartaz na capital mineira até o 3 de setembro. A temporada integra a programação especial comemorativa aos cinco anos de atuação do Centro Cultural Banco do Brasil – CCBB-BH. Passados 30 anos desde a estreia do texto, a Peça do Casamento chega à capital mineira mostrando como a dramaturgia de Albee trabalha questões atemporais e intrínsecas às relações sociais e afetivas. Os ingressos já estão à venda e custam R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada).

O autor faz do embate entre um marido e uma esposa um jogo de metalinguagem e desconstrução do gênero “peça de relacionamento” nesta sua ácida comédia “Peça do Casamento.” Após trinta anos juntos uma crise obriga um casal a revisar suas vidas e os embates que se seguem os obrigam a aprender algo sobre si mesmos e sobre o outro.

Considerada por Albee “a estrutura social fundamental da cultura contemporânea ocidental”, o casamento é o objeto de estudo a ser dissecado na montagem, levantando questões contemporâneas, mas que também eram pertinentes à época em que o texto foi escrito, como a idealização de relações amorosas duradouras apesar da existência de diversos casamentos infelizes e de divórcios e separações motivadas pela infidelidade.

“O casamento como instituição social fundamental da cultura ocidental é um dos temas fetiches de sua obra e isso sempre me pareceu fascinante. Além dos fascínios pelos meandros que sustentam a fragilidade de um casamento, a maneira que Albee, especificamente nesta obra, propõe um paralelo entre o casamento e o jogo teatral é muito instigante para um diretor. Usar os mecanismos da cena para iluminar, aprofundar e até revelar aspectos da obra está sendo um exercício fascinante.”, conta o diretor Guilherme Weber.

Diferentemente de seus outros trabalhos que se tornaram clássicos da dramaturgia, a “Peça do Casamento” ainda não é um texto muito encenado no Brasil. A adaptação de Guilherme Weber é a segunda de uma trilogia que traz o casamento como temática, levada aos palcos pelo diretor também na peça “Os Realistas”, de Will Eno, e que será completada com “De Verdade”, de Tom Stoppard, ainda inédita.

“A percepção de uma trilogia aconteceu de maneira bastante informal. Junto com a montagem de ‘Os Realistas’ percebi que as ideias de futuras montagens falavam principalmente do mesmo tema, o casamento e suas diversas manifestações. Então batizou-se esta ideia de trilogia.”, conta Weber.

A trilogia também traça um painel sobre a dramaturgia anglo saxã do final do século passado, com dois textos da década de oitenta, “De Verdade” de 1982, e “Peça do Casamento” de 1987 e do início deste século com “Os Realistas” de 2014. Estes três autores também seguiram se influenciando mutuamente, tendo Eno sido um aluno direto de Albee, enquanto Stoppard foi altamente influenciado pelo jogo de Albee durante o processo para criar a sua comédia sobre amor e teatro.

Por se tratar da estreia nacional do espetáculo, o diretor e o elenco estão bastante empolgados com a temporada no CCBB-BH uma vez que o público mineiro será o primeiro a conferir a montagem. As primeiras apresentações são essenciais para que os atores percebam a reação da plateia. Desta forma, a estreia em Belo Horizonte se tornou um momento importante para o diretor, principalmente devido ao público da capital mineira, que é bastante criterioso e está habituado com produções de qualidade. “O primeiro encontro de uma criação com seu público é sempre um abismo. É sempre, também, um prazer apresentar em BH, o público da cidade é muito interessado e sempre tem uma leitura instigante sobre a obra”, conclui Weber.

Espetáculo “Peça do Casamento”
Data: 15/8 a 3/9
Horário:
quinta a segunda, às 20h; domingo, às 17h
Local: CCBB-BH
Endereço: Praça da Liberdade, 450 – Funcionários
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada)
Informações: (31) 3431-9400 | culturabancodobrasil.com.br