Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

“Lalangue: carta à mãe” estreia neste fim de semana no Palácio das Artes

Montagem colaborativa propõe um olhar para o feminino como tema central da criação
Por Redação Feira Cultural

Cia. de Dança Palácio das Artes apresenta neste fim de semana sua nova montagem: Lalangue: carta à mãe. Com direção de Morena Nascimento, a coreografia se estrutura a partir de um processo de pesquisa que tem as inquietações femininas sobre as relações e o mundo atual como ponto de partida para a criação dos bailarinos, coautores desse novo espetáculo.

A partir de um processo de investigação que durou aproximadamente dois meses, o grupo, formado por 16 artistas, criou uma coreografia que tem como base os diferentes manifestos artísticos que podem surgir a partir de uma visão universal do feminino.

A expressão que dá nome à montagem indica as referências que permeiam esse novo trabalho da CDPA. Na psicanálise, lalangue é um termo em francês que determina as primeiras tentativas de comunicação não organizada e não estruturada entre um bebê e sua mãe ou, em sentido mais amplo, trata-se do saber inconsciente, aquele que, segundo Lacan, escapa do ser falante e, portanto, sabe-se sem saber; aquele que marca o corpo com significantes, sem a mediação da significação. A partir dessa ideia, os bailarinos iniciaram suas pesquisas, ora desconstruindo conceitos pré-estabelecidos, ora buscando referências afetivas para a composição do trabalho.

A partir dos primeiros exercícios, os gestos e movimentos da coreografia foram sendo elaborados, de forma individual, até que todo o grupo encontrasse pontos em comum para finalizar a coreografia. Cada bailarino escreveu uma carta para sua mãe, em um idioma inventado, uma referência ao conceito de lalangue que serão lidas durante o espetáculo. Haverá também alguns solos em que os bailarinos dançam as palavras que dedicaram às suas mães.

Para a diretora, Morena Nascimento, a criação desse espetáculo parte de um desejo de reinventar uma linguagem para o corpo e suas relações com o espaço, com os outros, com a própria mãe, entre outros detalhes. “Eu propus aos bailarinos que fizessem o exercício de imaginar o mundo regido por outras leis, leis do feminino”, explica Morena.

A diretora levantou algumas questões que ajudaram na criação coreográfica de Lalangue: carta à mãe, com a proposta de trabalhar gestualidades que entrassem em sintonia com o espetáculo. No processo criativo, o coletivo se deparou com algumas provocações da diretora, entre elas: Quais as urgências do corpo hoje? O que podemos produzir a partir da dor? Intuição é uma forma de raciocínio? Quem é minha mãe e qual relação estabeleço com ela? O que é minha primeira referência de feminino? Onde e quando ainda usamos instinto como forma de sobrevivência, seja física, emocional, espiritual? O que seria um manifesto do feminino?

LALANGUE: CARTA À MÃE – CIA. DE DANÇA PALÁCIO DAS ARTES

Data: 4 de agosto (sábado), às 20h30;

5 de agosto (domingo), às 19h

Local: Grande Teatro do Palácio das Artes

Endereço: Av. Afonso Pena, 1537 – Centro

Ingressos: R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia-entrada)

Informações para o público: (31) 3236-7400 | www.fcs.mg.gov.br

___
Foto:
Lalangue: Carta à Mãe – Foto de Paulo Lacerda