Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Biblioteca Pública Estadual recebe a primeira maquete tátil disponível em equipamentos culturais da capital

Dispositivo inédito visa ampliar a percepção da arquitetura e do urbanismo aos deficientes visuais
Por Redação Feira Cultural

Acesso é palavra fundamental quando o assunto é cultura. Em Minas Gerais, a Biblioteca Pública Estadual é um dos espaços que mais atuam na questão da acessibilidade. Esse importante diálogo já está sendo ampliado desde quinta-feira (5), quando a Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais inaugurou sua mais nova ação, que integra a primeira etapa do Projeto Liberdade: Arquitetura de Inclusão. Trata-se de uma maquete do tipo informacional do prédio da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais e mapas táteis dos três pavimentos do edifício.

A ação é fruto de debates no Comitê de Patrimônio do Circuito Liberdade, por meio de um plano de ações de acessibilidade que todos os equipamentos do circuito se propuseram a realizar. Neste sentido, a Biblioteca propôs a confecção de uma maquete tátil, em parceria com o Centro Universitário Newton Paiva. O Projeto Liberdade: Arquitetura de inclusão tem por objetivo ampliar a percepção espacial, de urbanismo e suas edificações aos deficientes visuais usuários da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais, para que esses tenham a plena liberdade de circulação e entendimento do prédio mencionado e seu entorno. Trazer a experiência espacial ao nível da percepção dos deficientes visuais abre caminho para que a comunidade acadêmica possa contribuir com soluções viáveis e acessíveis, oportunizando a todos vivenciar a cidade e seus diversos espaços.

A arquitetura tem o papel de conectar as pessoas e os lugares tornando a cidade um lugar democrático. Esta ação se dará através da oferta de maquetes informacionais da biblioteca e da localização da edificação na Praça da Liberdade, além de mapas táteis dos ambientes internos do prédio, tornando esses, mecanismos de inclusão social. Os usuários com deficiência visual poderão se deslocar pelo entorno do Circuito Liberdade até a biblioteca com mais segurança e comodidade, além de proporcioná-los conhecer externa e internamente o prédio da biblioteca pública, importante obra do arquiteto Oscar Niemeyer.

A Diretora da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais, Alessandra Gino, comemora o ineditismo da ação: “Esta é uma iniciativa muito importante para a biblioteca que sempre trabalha na perspectiva de inclusão e acessibilidade, principalmente através dos serviços de atendimento ao leitor com deficiência visual realizados pelo Setor Braille. A Secretaria de Estado de Cultura tem agora um instrumento que dá autonomia ao deficiente visual e inclui esse leitor em todos os espaços do edifício, além da percepção arquitetônica da Biblioteca”.

Maquete tátil amplia experiência sensorial © Rodrigo Reis