Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Curta Dança chega à terceira edição com espetáculos do Brasil e da Argentina

Com trabalhos nas mais variadas linguagens, a Mostra de Danças Curtas de Belo Horizonte integra, neste ano, o Corredor Latino-americano de Teatro
Por Redação Feira Cultural

O Espaço Aberto Pierrot Lunar recebe, de 13 a 18 de junho a 3ª edição do Curta Dança – Mostra de Danças Curtas de Belo Horizonte. Reunindo montagens com até até 15 minutos de duração, o evento pretende ampliar o espaço de produção e trocas de experiências artísticas com trabalhos de diferentes estados do país e exterior. A novidade desta edição é que o Curta Dança passa a integrar a programação do Corredor Latino-americano de Teatro.

O evento contará com quatro apresentações por noite e um debate mediado por profissionais da dança especialmente convidados para promover a troca e a reflexão sobre os trabalhos apresentados, tendo a participação de bailarinos, grupos envolvidos e público. Os ingressos têm valores de R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia-entrada).

A Cor Dar, Cia Sesc de Dança © Tarcisio de Paula

Aberta à participação de grupos, coletivos, bailarinos, estudantes, professores e artistas em geral, esta edição contou em seu processo de seleção com 46 inscritos, com propostas instigantes, o que tornou o processo de curadoria algo desafiador.

Ao final, foram selecionadas 24 danças, sendo 18 de Belo Horizonte/MG e as demais vindas de João Pessoa/PB, Volta Redonda/RJ, Curitiba/PR, Campinas/SP, Nova Lima/MG e Buenos Aires, na Argentina. Apesar de manter o mesmo formato das edições anteriores, para este ano o Curta Dança foi ampliado, acontecendo ao longo de seis dias, com a abertura a oito novas propostas na grade de programação.

“Chegamos na terceira edição com a alegria de ver aquela ideia de um projeto de danças curtas se consolidando como um evento aberto para os mais variados estilos de dança e sendo abraçado pela classe. Pela primeira vez contamos com patrocínio, o que nos ajuda a dar o mínimo de condição para os artistas se apresentarem e brilharem. Que seja um sucesso”, aposta Léo Quintão, coordenador e curador.

Além de integrar a programação do Espaço Aberto Pierrot Lunar, que comemora 10 anos de efervescência cultural em BH, a mostra passa a fazer parte das ações do Corredor Latino-americano de Teatro. O CLT surgiu em 2014 como uma rede para pensar e fomentar o intercâmbio e circulação de grupos de teatro latino-americanos, estando atualmente em seis países, com cinco festivais, além da parceria com mais de 10 festivais internacionais.

No final do ano passado, a proposta abriu-se para a dança, o que tornou possível a ampliação para trocas no Curta Dança. “Esse ano conseguimos ampliar as fronteiras e pela primeira vez estamos recebendo danças de norte a sul a do Brasil, além de uma artista de Buenos Aires. O Curta Dança agora é um evento Latino-americano, em função da parceira com o Corredor Latino Americano de Teatro. Que venham novos parceiros”, diz Cristiano Diniz, coordenador geral e curador.

 

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DO CURTA DANÇA

 

13/6 (quarta-feira)
20h

Reverberar: as várias faces de um ser
Belo Horizonte (MG)
Coletivo TricôR, Direção: Iale Buscácio, Intérpretes: Ana Carolina Lemos/ Iale Buscácio/ Lia Crempe/ Lucas Belchior/ Natália Mendes/ Naylah Nogueira.A ideia central estrutura-se em 3 bases: o ser, o social e o plural.
A partir destes pilares a pesquisa corporal buscou integrar questionamentos e vivências sociais dos próprios artistas do coletivo. É uma mescla entre as técnicas de dança de salão e a dança contemporânea.
Duração: 5 minutos

Mas Culo
Belo Horizonte (MG)
Denner Moisés, Direção: Giulia Braga do Valle.
Entre a dança e a performance o animal surge, de sua metamorfose civil, entre o tecido e a carne o ovíparo homem. Arcaico e moderno, atemporal e finito, cheio de convicções em torno do nu.
Duração: 15 minutos

Knock Myself Out
Belo Horizonte (MG)
Coreografando (Alunos Mímulus Escola de Dança). Short Hoppers.
O “Short Hoppers” é um grupo de dançarinos iniciantes que se apaixonaram pela dança a primeira vista e quiseram mostrar para o mundo que, mesmo as coisas mais simples do Lindy Hop, podem ser super legais.
Duração: 3 minutos

Off. Eles Não Olham Pra Nós
Belo Horizonte (MG)
Coletivo Breaking no Asfalto, Rodrigo Pinheiro.
Em cada cultura, os padrões culturais são criados historicamente e os seres humanos interpretam individualmente esses padrões nas atuações específicas de cada um. Assim, na medida em que há diferentes culturas, também há vários tipos de indivíduos dentro de cada cultura.
Duração: 10 minutos

© Daniel Vidal

 

14/6 (quinta-feira)
20h

Iberoamericanas
Belo Horizonte (MG)
Duo Alismo, Lucas Medeiros
O espetáculo Iberoamericanas surgiu da idéia de juntar música e dança numa relação não hierárquica. O duo de piano e viola – DuoAlismo – convida o bailarino Lucas Medeiros para compor um trabalho de diálogo entre música e dança. Iberoamericanas propõe uma incursão pelo repertório Ibérico e Latino-americano.
Duração: 14 minutos

Análtica do Brasil Recruta
Curitiba (PR)
Rubia Romani
Uma paródia do homem fardado, uma sátira do desejo estereotipado proposto pelos poucos clubes das mulheres. O Almirante da marinha dá o mais do mesmo e em seguida subverte as expectativas ao hastear a bandeira e mostrar seus distintivos.
Duração: 7 minutos

BellySamba
Belo Horizonte (MG)
Centro de Dança Letícia Soares
Uma fusão que mistura sons, fazendo uma viagem entre o Brasil e os países árabes. O encontro da cultura brasileira, com o samba, e a cultura árabe, com a Dança do Ventre, fomentando a diversidade de manifestações artísticas. Duração: 15 minutos

Grão de Areia
Volta Redonda (RJ)
Cia Ecos
Busca demonstrar a importância dos pequenos detalhes. Um sorriso, uma música, um olhar. As pequenas coisas que são tão importantes na construção da nossa humanidade, do nosso carinho e do nosso amor. As pessoas têm buscado o grande e se esquecido dos grãos de areia.
Duração: 7 minutos
Mediador: Sérgio Penna

 

15/6 (sexta-feira)
20h

A Cor Dar
Belo Horizonte (MG)
Cia. Sesc de Dança, Coordenação Artística: Priscila Fiorini, Coregorafia: Mirela França
No palco, três corpos dançam cores. Em um primeiro olhar para algo, é a sua cor o que mais toma atenção. As cores carregam mensagens e ideias possuindo, segundo a semiótica, valor de símbolo.
Duração: 15 minutos

Re-Ver
Belo Horizonte (MG)
Branca Peixoto e Rafael Bittar
Um casal que se conheceu dançando, hoje volta aos palcos juntos. Uma história real e em constante construção, em que tudo se resume à saudade e a vontade de revisitar pra continuar. Reviver o outro para se redescobrir.
Duração: 12 minutos

Queda da Própria Altura
Belo Horizonte (MG)
Duna Dias, Direção: Leonardo Augusto e Heloisa Rodrigues
Evoca o transe de um corpo feminino exposto aos dilemas da metrópole e ao resgate de suas raízes. Uma mulher sempre alerta aos ataques sofridos em seu corpo por gerações.
Duração: 13 minutos

Pele
Belo Horizonte (MG)
Anne Caroline Vaz
Aquela que envolve, que esconde, que cria contato, que entende o afeto. Que transborda no grito do arrepio, que vira verbo na ação de pelejar. Fronteira na relação do desejar ela concede o padrão do gostar. A Pele que pode Ser, estar, conhecer e até escolher o corpo mulher do como e onde se apresentar.
Duração: 8 minutos

 

16/6 (sábado)
20h

Breve Espaço entre as coisas que se tocam
Belo Horizonte (MG)
Terceira Margem Coletivo de Dança, Direção: Débora Pazetto e Samuel Samways, Músicos: Francisco César e Victor Mendes
Um momento de dança-pensamento-som em que os corpos dialogam por meio da técnica de Condução Mútua. Fragmentos de reflexão filosófica e improvisação musical. Bailarinas/os e musicistas sentem e respondem em tempo real aos estímulos mútuos.
Duração: 15 minutos

Uzi Libras
Belo Horizonte (MG)
Uziel Ferreira
É uma proposta de declamação de 5 poemas de Carlos Drummond, de forma dançada, corpo e movimento estruturalmente organizados no espaço visual, mímica, comunicação alternativa e sinais próprios da Libras – Língua Brasileira de Sinais, ampliando a acessibilidade à arte e à cultura.
Duração: 10 minutos

Resistências
Campinas (SP)
Coletivo Atravessadas, Intérpretes: Ana Mi, Maria Reisewitz, Taiana Ferraz e Victor Isidro
Trata da vida e da arte, a partir do brotar do mato, das plantas indesejadas que persistem nas rachaduras das calçadas, nas paredes, nas ranhuras do concreto. Enfrentamentos entre natureza e cidade, espaços públicos e privados, artista e sociedade, indivíduo e coletivo.
Duração: 12 minutos

Ex-Tinto
Belo Horizonte (MG)
Rodrigo Antero
Será que foi o mundo? Ou será que fui eu? O mundo, ou eu, a cada instante encolhe, se extingue… se esvai… Duração: 12 minutos

 

17/6 (domingo)
20h

Corporificar #4 Dos Espaços e Vazios
Belo Horizonte (MG)
Nicole Blach, Otávio Cotta, Raquel Pires Cavalcanti, Geovanne Sassá e Deise Oliveira
Apoia-se em noções de espaço, de vazio e na improvisação para a criação e composição cênica. Busca observar a construção de narrativas gestuais e investiga como romper com alguns padrões estéticos de forma a dar espaço para novos olhares em dança.
Duração: 15 minutos

Hiato
Nova Lima (MG)
Christiano Castro
Num mundo de tantas possibilidades e informações, às vezes parecemos estar num hiato entre o pensamento e a ação. A decisão de escolha é uma luta interna onde o seu querer entra em conflito com o exterior.
Duração: 15 minutos

Horizonteabismo
João Pessoa (PB)
Mylla Maggi e Débora Reges
Através de pesquisas teóricas e práticas de poesia-corpo, o trabalho investiga os campos sensoriais e imagéticos nos quais as palavras abismo e chama acessam movimentos, valendo-se especialmente de processos de contato-improvisação.
Duração: 15 minutos

Manobras de McBurney Feliz
Belo Horizonte (MG)
Gu Freitas, Direção: Lucas Vasconcellos, Provocações Cênicas: Fernando Barcellos e Rita Clemente, Participação: Dr. Fabrício Campos
Trabalhadores. Rotina. Corpo. Padrão estético vigente. Rompimento. Perfeição. Rotina. Música. Sozinho. Sozinho consigo mesmo. Sozinho com todo mundo. Saúde. Desconstrução. Coragem. Dúvida. Preconceito na arte. Preconceito nos diálogos. Preconceito nos corpos.
Duração: 9 minutos

 

18/6 (segunda-feira)
20h

Instruções Para Fruir o Tempo
Belo Horizonte (MG)
Lab Criativo de Contato Improvisação. Músicos: Francisco César e Victor Mendes. Projeções: Lucas Morais
É um jogo performativo multi-artístico em que são construídas, em tempo real, interações lúdicas entre os corpos dançantes, o som e a luz. Convidamos o público a fruir e fluir o presente desse instante partilhado.
Duração: 15 minutos

Machismo: O que te constrói, te diminui
Belo Horizonte (MG)
Andressa Fonseca – Direção Coreográfica: Ítalo Augusto
O mesmo machismo que te diz como ser é o que te julga por ser assim. É sobre essa cruel contradição que essa coreografia grita! Do útero a vida, mas também a negação dela.
Duração: 6 minutos

Anastasia Berlin Baila a Beethoven Madona Y Charly Garcia Y Es Un Solo de Improvisación
Buenos Aires (ARG)
Natalia Tencer
É uma obra biográfica pelo distanciamento, minto, é biográfica, mas muitos detalhes de sua história são jogados como indicações, são inspirações, musas! Claro que sim! As musas! É o corpo que sente a música que dança, toca, se diverte e toca. São os feriados, as festas do passado na casa dos meus pais. É o judaísmo e suas danças.
Duração: 15 minutos

Bethary
Belo Horizonte (MG)
Bárbara Veronez e Mariana Razzi
Mulher-moça, mulher-feita, mulher-anciã. Corpo-fêmea que se observa nos entre-tempos. Criadora e criatura que rompe, conserva, resiste, frui. Fronteiras que se esbarram, sabores que se misturam. Ali, elas dançam… à beira de seus abismos.
Duração: 15 minutos

 

Serviço:
3º Curta Dança – Mostra de Danças Curtas de Belo Horizonte
Data:
13/6 a 18/6 (quarta a segunda), às 20h
Horário: 20h
Local: Espaço Aberto Pierrot Lunar
Endereço: Rua Ipiranga, 137 – Floresta
Ingressos: R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia-entrada)
Informações: (31) 2514-0440 | fb.com/curtadancabh
Classificação: 12 anos