Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Não Rolou: Desorganização da grade pode ajudar a explicar o motivo de “Celebridade” não ter empolgado no “Vale a Pena Ver de Novo”

Novela foi uma das mais maltratadas da faixa de reprises da Globo
Por Antônio Pedro de Souza

Celebridade chegou ao fim na tarde desta sexta-feira, 08 de junho, na faixa Vale a Pena Ver de Novo, da Rede Globo. Em sua exibição original, entre 2003 e 2004, a novela foi um grande sucesso e esteve na boca do povo em diversos momentos.

Os bordões e “apelidos carinhosos” pelos quais Laura e Marcos se chamavam ficaram famosos, bem como as armações da própria Laura com o Renato. Renato, aliás, aprontou muito na trama de Gilberto Braga, entrando para o rol de grandes vilões da TV.

No meio da história, o empresário Lineu Vasconcelos é assassinado e o tom policial passa a ganhar força, persistindo até o último capítulo.

Imagem promocional de “Celebridade” no GloboPlay

Celebridade é uma das melhores novelas da primeira metade da década de 2000, mas sua reprise no Vale a Pena Ver de Novo acabou sendo uma das mais maltratadas dos últimos anos.

Depois de Cheias de Charme ter sido exibida quase na íntegra e Senhora do Destino ter se alongado em demasia, apesar dos cortes impostos para o horário, era de se esperar que a novela de Gilberto Braga recebesse um pouco mais de atenção da emissora, já que era uma das mais pedidas para reprise.

Tal atenção se mostrava bem fundamentada, já que a queda da Classificação Indicativa por Horário em meados de 2017 propiciaria uma edição da novela para maiores de 12 anos, ao contrário dos 10 anos impostos a sua antecessora. Deste modo, a novela poderia exibir cenas mais “pesadas” que a obra de Aguinaldo Silva. A trama estreou em 04 de dezembro e dividiu a primeira semana com a última de Senhora…, a partir daí, reinou sozinha nos fins de tarde, mas viu o público se distanciar. Algo normal, considerando as festas de fim de ano e o mês de férias. No entanto, quando chegou fevereiro, o público continuou afastado, apesar dos espectadores fiéis que assistiam e comentavam nas redes sociais.

Aí entrou a mão da emissora e deu uma avacalhada geral na trajetória de Maria Clara Diniz e Laura Prudente da Costa: alguns cortes de cenas foram gritantes e chamaram a atenção dos fãs mais atenciosos. Alguns colunistas televisivos informaram, por exemplo, que houve capítulos com cinquenta minutos na versão original condensados em apenas seis minutos nesta reprise. Ou seja: muita coisa foi perdida. E isso prejudicou a coerência em muitos momentos: o namoro entre Inácio e Darlene, por exemplo, não fez o menor sentido nesta versão: o rapaz vê a moça, fica excitado por ela, ela se aproveita da situação, tira a virgindade dele e, em seguida, pede a capa da revista Fama! Tudo isso em uma sucessão de cenas num mesmo capítulo! Pior: quando Inácio vai conversar com o avô para pedir a tal capa da revista para Darlene, os diálogos informavam que os dois já se relacionavam há algumas semanas. Onde foram parar essas cenas? Alguns jornalistas também indicaram cortes em apresentações musicais, como o show do Lulu Santos, relegado a poucos segundos no ar, ao contrário da longa sequência originalmente exibida. Pode-se tentar argumentar alguns cortes com a explicação de que Malu Mader (protagonista) e Isabela Garcia (melhor amiga da protagonista) não fazem mais parte do quadro de funcionários da Globo (O Canal Viva também editou Bebê a Bordo). Isso, porém, não se aplica quando lembramos de exemplos anteriores: quando O Profeta e O Cravo e a Rosa foram reprisadas entre 2013 e 2014, o ator Rodrigo Faro já estava na RecordTV, mas suas cenas não foram reduzidas. O mesmo aconteceu em 2016: no auge do escândalo sobre abuso sexual cometido por José Mayer, a Globo exibiu Senhora do Destino e o Viva levou ao ar Tieta e Fera Radical. Ou seja: não importa se a pessoa tem uma conduta errada agora ou se não faz mais parte do elenco da emissora. As novelas já produzidas não serão penalizadas. Era o que achávamos até agora…

Por vezes, foram exibidos apenas três capítulos semanais. Os “buracos” na grade, aliados aos cortes da edição, deixaram a história confusa. Reprodução: Globo Play

Além dos cortes, a Globo se mostrou totalmente desorganizada com sua grade de programação nesta primeira metade de 2018. O que causa estranhamento, já que a emissora é uma das mais organizadas neste quesito.

Sabemos que em ano de Copa do Mundo e Eleições Presidenciais, aliados ainda a manifestações populares, greves e prisões de políticos corruptos não há grade de programação que resista, mas esperava-se um mínimo de planejamento da principal e, até agora, mais organizada emissora aberta do país.

Por causa da transmissão dos jogos da Liga dos Campeões, Celebridade ficou por várias semanas sendo exibida apenas em três dias: segunda, quinta e sexta. Esses buracos contribuem para o desinteresse do público. Mais uma vez, nada que um ajuste da grade não resolva: nestes dias, Celebridade poderia ter sido exibida em micro capítulos de 20 minutos após o jogo (por volta das 17h45), como na semana de estreia, por exemplo. Faltou boa vontade da emissora em pensar nisso.

Durante coberturas importantes sobre escândalos políticos ou greves, foram as entradas ao vivo que picotaram Celebridade e Malhação. Embora isso não fosse algo previsto (como no caso dos jogos internacionais), poderia ser contornado dando uns capítulos a mais para esta reprise, em vez de encerrá-la agora no começo de junho.

Outro problema foi o tamanho dos capítulos: Desde que a Globo estreou o novo formato de duas reprises no Vale a Pena Ver de Novo, foram poucos os casos em que a novela que está entrando em cena tem capítulos maiores que vinte minutos na primeira semana (Caminho das Índias e Belíssima são as exceções). Mas, no caso de Celebridade, a discrepância na duração dos capítulos durou toda a reprise. A impressão que deu é que a Globo, para cobrir os buracos deixados pelos jogos e noticiário, alongou uns capítulos enquanto subtraiu preciosos minutos de outros. Assim, houve capítulos com 21 minutos (primeira semana), 1 hora (meados de janeiro) e 2 horas ( na verdade, 1h37, em 30/05/2018). Aliás, as últimas semanas da novela foram as mais confusas no quesito “Tamanho do Capítulo”. Uma rápida olhada no Globo Play, onde a novela está disponível para assinantes, mostra que no dia 28/05 (segunda-feira), a duração foi de 18 minutos; em 29/05 (terça-feira), 33 minutos; 30/05 (quarta-feira), as quase 2 horas; 31/05 (quinta-feira), 39 minutos; e em 1º/06 (sexta-feira), 1 hora de duração. Ou seja: na mesma semana a novela teve sua duração alterada entre poucos minutos e… poucas horas! Nem a novela das nove às quartas-feiras é tão “zoada” assim na grade.

Discrepância na duração de capítulos: em uma semana, os episódios duraram 18, 60, 120 minutos… – Reprodução: Globo Play

Aliás, a Globo adiou o início do Jornal Nacional (coisa raríssima!) no episódio da prisão do ex-presidente Lula. Na ocasião, a novela Deus Salve o Rei foi para o intervalo por volta das 20h18 e entrou o plantão informando sobre a prisão. O plantão se estendeu até às 20h27 e a novela voltou, tendo seu último bloco exibido normalmente e entregando o horário ao JN por volta das 20h40. Se lá houve organização e respeito com o público que assiste à novela e ao noticiário, o mesmo não aconteceu com Celebridade.

Além dos buracos durante a semana e a diferença na duração dos capítulos, outro problema gritante foi no horário da novela: Há muitos anos que Vale a Pena Ver de Novo não tinha seu horário de entrada tão bagunçado. Nem mesmo em 2014 quando a emissora trocou a ordem da Sessão da Tarde com a faixa das novelas (em 17 de fevereiro daquele ano) o horário sofreu tantas mudanças.

Por vezes, Celebridade começou às 17h (horário normal); em outras, às 16h45, 16h30, 16h, 15h e até às 14h30… quando o Vídeo Show não foi ao ar e a trama começou logo após o Jornal Hoje.

Apenas em 2013, em meio às manifestações, a novela O Profeta teve destino semelhante numa ocasião em que foi exibida quase a tarde toda, substituindo o jogo de futebol da Copa das Confederações previsto para o horário. Mas, mesmo durante aquela reprise e os problemas da época, a Globo se mostrou mais organizada com a grade e respeitosa para com o público.

Para piorar a situação da já claudicante novela, nesta última semana ela teve o horário alterado… de novo! Passou a entrar logo após o Vídeo Show, ficando no ar por cerca de 90 minutos e entregando o horário à Belíssima, por volta das 17h. Isso revelou outro problema e desrespeito ao público: as pessoas que trabalham ou estudam à tarde e chegam em casa por volta das 16h30 ou 17h, assistiram à novela toda e, na última semana, não puderam vê-la, já que estava começando mais cedo. Isso pode, ainda, agravar a situação de Belíssima, já que a mesma prerrogativa de mudança de horário na semana final pode ser usada na obra de Sílvio de Abreu.

Outro fato curioso sobre essa desorganização da grade de programação: muitas vezes, o horário informado no site e repassado às operadoras de TV não era seguido. Hoje, por exemplo, a ClaroTV informava que Celebridade começaria às 14h45, enquanto o site da emissora informava às 15h17 e a novela começou por volta das 15h25. Nem mesmo a foto oficial da novela ficou no ar esta semana, como pode ser visto na imagem abaixo.

Informações desencontradas no último capítulo: A Claro TV informou o início da novela para às 14h45, o site da Globo anunciou para às 15h17 e o capítulo começou, de fato, por volta das 15h25.  Fato curioso: A foto apresentada no site e a sinopse eram de “Belíssima”, embora o título indicasse “Celebridade”. Foto: Antônio Pedro de Souza / Reprodução Site da TV Globo

A própria promoção da novela minou com o tempo: as constantes chamadas de apresentação antes da estreia minguaram e os capítulos quase não eram anunciados durante a programação. Não houve também uma playlist no canal oficial da Globo no Youtube dedicada à novela como acontecera à Senhora do Destino e Cheias de Charme. No caso das antecessoras, eram colocadas as chamadas de estreia e de todos os capítulos exibidos.

Ao contrário das antecessoras, “Celebridade” não ganhou uma playlist no Youtube oficial da Globo com suas chamadas diárias. – Reprodução: Youtube

E o que dizer da chamada do último capítulo? Nenhuma menção à morte de Lineu Vasconcelos, grande chamariz da trama a partir de sua metade. Na versão original, uma revista era folheada com os rostos dos principais suspeitos ampliados por uma lupa e, em seguida, a frase em letras garrafais saltava na tela: “Quem Matou Lineu?”. Para a reprise, embora o capítulo da morte tenha sido amplamente divulgado, não houve uma nenhuma citação nas chamadas deste desfecho.

“Quem matou Lineu?” Grande chamariz a partir de metade da trama, ganhou destaque nas chamadas do último capítulo da versão original, foi alardeado quando o capítulo do assassinato foi ao ar na reprise, mas sequer foi citado na chamada do derradeiro capítulo hoje, 08/06/2018 – Reprodução: Globo Play

Houve, claro, excelentes momentos na reprise de Celebridade, já que a novela, por si só, é uma grande atração. De fato, a classificação 12 anos ajudou a colocar algumas cenas que, até então, seriam impensáveis para o horário. Lineu fumou charutos e Renato tomou uísque às cinco da tarde. Ademar falou palavrões no mesmo horário já no primeiro capítulo: “Sabe cacete? Cacete firme? Pois é! Assim é o problema que Maria Clara está enfrentando”, ele disse à Laura quando se conheceram. Houve ainda o “Darlene com D de Dar” que não foi cortado nesta reprise e a alusão ao topless de Jaqueline Joy (a cena não foi mostrada, mas entendemos o que aconteceu). Em relação à morte de Lineu, o capítulo exibido em 09 de abril de 2018 foi bem divulgado pela emissora e teve duração de 58m57, mas poderia ter terminado com o gancho da descoberta do corpo. No entanto, a cena se estendeu por mais dez minutos (Maria Clara encontra o corpo aos 48 minutos do capítulo em questão) e quando a novela terminou, a polícia já tinha chegado ao local e praticamente todo mundo sabia da morte do empresário. O capítulo terminou “morno”, sem gancho e pior: não foi exibido nos dois dias seguintes por causa da Liga dos Campeões.  Não há suspense policial que resista à tanta morosidade e quando a novela voltou ao ar no dia 12 de abril, com cerca de 50 minutos de duração (dez a menos que o capítulo anterior), o impacto pela morte de Lineu já havia esfriado consideravelmente.

Em relação à cena da surra que Maria Clara deu em Laura, o capítulo exibido em 14 de maio também foi amplamente divulgado e, ao contrário do que aconteceu com Maria do Carmo e Nazaré Tedesco em Senhora do Destino, a sequência foi mostrada  na íntegra, para deleite dos fãs. Os desdobramentos, como Maria Clara visitando a rival no hospital, também foram mantidos.

Pelo menos isso!
Surra de Maria Clara em Laura foi exibida na íntegra nesta reprise. – Reprodução: Globo Play

Há alguns detalhes que parecem bobos, mas valem ser ressaltados: a falta que fizeram os congelamentos ao fim dos capítulos e a abertura da novela são alguns deles! É de praxe no Vale a Pena… não serem exibidos os congelamentos dos capítulos, já que nem sempre a duração e a edição é a mesma da versão original. Com exceção do primeiro capítulo (que por anos foi exibido na íntegra no Vale…) não tínhamos o livro se fechando em Era Uma Vez… e Alma Gêmea, a moldura de chocolate em Chocolate com Pimenta ou o balde de tinta em Caras & Bocas. Assim, já era de se esperar que os flashes fotográficos que encerravam Celebridade entre 2003 e 2004 não voltassem nesta versão. O curioso, porém, foi que em muitos capítulos ouvimos a trilha aumentando, o barulho do flash e… nada. Entravam os créditos finais e pronto! Se os caras da edição deixaram o efeito sonoro, não poderiam ter deixado também o efeito visual?

A abertura foi outra que sofreu, a exemplo de Anjo Mau em 2016. Quase nunca foi exibida nesta reprise, embora a vinheta de encerramento (que não apresenta os créditos há muito tempo) se mostrou mais longa que de costume. É uma pena, já que Celebridade tem uma das aberturas mais criativas do começo do século e com uma das músicas mais atraentes também! Vale lembrar que Cheias de Charme teve a abertura exibida constantemente.

Não teve abertura! Vinheta foi exibida pouquíssimas vezes nesta reprise. Clicando na imagem acima, você pode relembrar a abertura completa. Reprodução: Globo Play O link direciona para o canal da Globo no Youtube

Outra falha imperdoável foi o encerramento do capítulo final, em que foi cortado o clipe com o rosto do elenco, produção e homenagem à co-autora Eleonor Bassères, falecida em janeiro de 2004. O fato se assemelhou ao da segunda reprise de Chocolate com Pimenta, em que Aninha, Danilo e o filho do casal não são emoldurados no encerramento (embora a primeira reprise tenha exibido o efeito). Desta vez, Fernando pergunta à Maria Clara se ela está feliz e ela responde: “Pela primeira vez, estou feliz para sempre!” Eles se beijam e a música de Gilberto Gil deveria continuar tocando. O cantor terminaria “A Paz” e iniciaria “Com Que Roupa?” enquanto entravam os slides com as fotos dos atores e da equipe de produção. Tal coisa não aconteceu e, ao responder e beijar Fernando, o capítulo foi toscamente cortado, entrando a vinheta de encerramento de Celebridade, de início de Belíssima e… só! Oi? Ficou um gostinho de “Ué? Já acabou?” no ar. Vale lembrar que a reprise de 2016 de Anjo Mau, embora tenha tido a abertura praticamente extirpada, manteve o letreiro final do último capítulo, em que Maria Adelaide Amaral homenageava Cassiano Gabus Mendes, autor da trama original, e Susana Vieira, a babá Nice da primeira versão. Ainda a reprise de Caras & Bocas mostrou o destino real da chimpanzé que vivia o macaco Xico, com Marcos Pasquim a visitando em um santuário de animais. Parte do áudio foi cortado, mas a essência e a mensagem final foram mantidos. Por que não fizeram o mesmo com Celebridade?

Enfim, a Globo não respeitou a própria grade, a própria novela e o público, relegando Celebridade a uma reprise menor, cheia de falhas e que, infelizmente, teve o brilho de uma grande novela reduzido. Em questão de tempo geral, a novela até aguentou bastante no ar, ficando seis meses: de 04 de dezembro de 2017 a 08 de junho de 2018, o que é considerado normal para as atuais reprises do canal. Em relação à edição, a dias realmente exibidos e padronização do horário, não houve nenhuma coerência desta vez. Uma pena, já que Celebridade foi um marco da TV…