Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Espetáculo Simplesmente Marta integra programação de dez anos do Teatro 171

Com direção de Henrique Limarde e atuação de Cleo Magalhães, espetáculo narra a história de uma apresentadora de TV decadente que não aceita seu próprio fracasso e constrói um mundo absurdo e fantástico
Por Redação Feira Cultural

De 11 a 20 de maio o Espaço 171 recebe a temporada de Simplesmente Marta, espetáculo com atuação de Cleo Magalhães, direção de Henrique Limadre e produção do Teatro 171. A sede do coletivo, que neste ano celebra dez anos de existência, vai ser transformada num estúdio de televisão para receber a plateia que vai acompanhar as gravações do programa da apresentadora de TV, cantriz, escritora, compositora, chef de cozinha, modelo vivo e maravilhosa – assim ela própria se define – Simplesmente Marta. O Bar do 171 vai funcionar durante as apresentações, vendendo bebidas e comidas nos intervalos entre os blocos do espetáculo. Os ingressos já estão à venda e custam R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia-entrada).

Uma mulher? Uma estrela? Uma farsa? Ou simplesmente Marta? Marta é a história, o drama, o conflito central. É a mistura de muitas mulheres, estrelas e farsas. Fricção entre realidade, ficção e muita fantasia! É uma estrela em ascendente decadência, a nossa pele em flor: Marta Vanusa Goldistimiti Braga Poppovic Meneguel dos Santos Winfrey… Ou simplesmente MARTA! O espetáculo narra a história de uma apresentadora de TV decadente que não aceita seu próprio fracasso e constrói um mundo absurdo e fantástico para conseguir continuar. De maneira tragicômica, Marta vive os últimos minutos de fama ao lado da ‘plateia’ no seu programa Simplesmente Marta, transmitido ao vivo durante o espetáculo. É uma espécie de cabaré drag filmado. Mistura na sua essência elementos do teatro de revista, dos cabarés e do audiovisual.

Segundo Cleo Magalhães “Marta é minha personagem, drag-persona, alter ego, tudo junto e misturado.” Há mais de dez anos vem passando por transformações, adaptações e retoques, assim como seu autor. Esse dialogo criativo tomou novas proporções com a criação do espetáculo solo que carrega esse nome. Marta, como é carinhosamente conhecida, é uma criação tão particular, que muita gente acredita que ela existe. “Me divirto com isso, tem gente que só me chama de Marta e não consegue vincular uma ‘pessoa’ a outra”, afirma Magalhães. Se a personagem é uma forma de expressar não só questões que acompanham o ator como, identidade de gênero, orientação sexual, liberdade de expressão é da visão de sua feminilidade e de sua masculinidade, é também um “produto” sempre inacabado, já que tudo isso vai mudando com o tempo, com as experiências, com as discussões em pauta, com o mundo.

 

Montagem conta a história de uma apresentadora de tv decadente que não aceita o fim da carreira © Erica Elke

“A magia desse ‘dialogo’ ao mesmo tempo entre meu ‘feminino’ e meu ‘masculino’ é saber que estamos em constante evolução. Coloco isso a prova não só realizando a peça, mas nas apresentações, eventos e shows que faço com ela desde 2005”, reforça Magalhães. Todas essas experiências serviram de orientação para o canal no Youtube “Simplesmente Marta“, que é mais um desafio de ampliação de dialogo dos tempos atuais. “Ocupar as redes trazendo essas discussões é também uma forma ou tentativa de construir experiencias mais produtivas, acessar outros universos e convida-los pra artes”, finaliza o ator.

Simplesmente Marta tem direção de Henrique Limadre, também fundador, junto a Cleo Magalhães, do Teatro 171, um dos coletivos “precursores” do corredor artístico sediado no Horto e formado por Marina Viana, Gabriel Castro, Patrícia Diniz, Javier Galindo e Fabiana Bergamini. O design de luz é de Marina Arthuzzi, também parceira do coletivo. O espetáculo Simplesmente Marta vem fortalecer o movimento artístico que há quase 10 anos acontece na região leste de BH. Mais especificamente no bairro do Horto, com o Grupo Galpão, o Galpão Cine Horto, a Gruta, o teatro 171 e a Zona Last. Apelidado carinhosamente de “Corredor da Leste” esse pedacinho de BH vem despontando na cena artística e despertado grande interesse de públicos diversos. Vários coletivos artísticos ocupam e transitam pelos espaços que lá existem.

Uma década de resistência – Em 2018, o Espaço 171, gerido e idealizado pelo Teatro171, completa dez anos de existência. Em 2008, recém saído dos projetos Oficinão e Pé na Rua, do Galpão Cine Horto, o coletivo de artistas ocupou sua sede na rua Capitão Bragança, em Santa Tereza, depois dos espetáculos “Quando o peixe salta”, com direção de Fernando Mencarelli e Rodrigo Campos, e “Circo do Lixo”, com direção de Eduardo Moreira e Chico Aníbal.

Em 2008 veio a criação da cena curta “Avenida Pindorama, 171”, trabalho que se configurou como espetáculo em 2009 no projeto piloto do cena-espetáculo também do Galpão Cine Horto. Este trabalho deu nome ao grupo e à sede da cia. A partir de 2010, como estratégia para pagar as despesas de aluguel, o coletivo passou a realizar eventos de ordens diversas com venda de cerveja. O “Buteco171” acabou caracterizando o grupo ao longo desses anos e eventos, como o jantar “A Maldição de João Ceschiatti” e o “Bingay”, também marcaram época, antes ainda do atual movimento em efervescência no corredor cultural da zona leste de Belo Horizonte.

Outros coletivos parceiros conceberam algumas de suas criações no Espaço 171, entre eles “Primeira Campainha”, “Quatro Los Cinco”, “Zula Cia. de Teatro” e o “Grupo de Teatro Mayombe”. Em 2009, foi concebido e apresentado no Espaço171, a peça “Cabaret da Loucura”, do grupo Bar de Papo, com direção de Docymar Moreira. No ano seguinte, em 2011, o Teatro171 criou a peça “Drïka” e em 2013 a peça “Encontro com Pedro Juan”, ambas com direção de Henrique Limadre.

Em 2016, o coletivo aderiu à estratégia de financiamento coletivo e fez, junto à Variável 5 – plataforma de crowdfunding – uma campanha para arrecadar fundos, reformar e ampliar sua sede. Alugaram a loja ao lado, quebraram a parede e duplicaram de tamanho, adquirindo uma estrutura de teatro de bolso para apresentações para cerca de cinquenta pessoas.

Nos últimos dois anos, o Teatro171 tem promovido eventos como o “Varejão” e o “Salão Latino”, capitaneados respectivamente por Marina Viana e Guilherme Morais e Javier Galindo. Além disso, o Núcleo de Experimentação Cinematográfica (NECA), idealizado por Cleo Magalhães, também utiliza o espaço para suas atividades. “Territórios” é a última criação do coletivo, com direção de Henrique Limadre e codireção de Gabriel Castro Cavalcante.

O ano de 2018 marca, portanto, uma década de resistência e ocupação da sede que nunca contou com leis de incentivo ou patrocinadores institucionais, ao contrário, sua sobrevivência se deu graças às parcerias com grupos diversos e ao financiamento direto do público que frequenta o local.

 

Espetáculo fica em cartaz no Teatro 171 de 11 de a 20 de maio © Erica Elke

Serviço:
Espetáculo Simplesmente Marta, do Teatro 171
Data: de 11/5 a 20/5
Horário: sextas e sábados, às 20h; domingos, às 19h
Local: Espaço 171
Endereço: Rua Capitão Bragança, 35 – Santa Tereza
Ingressos: R$20,00 (inteira), R$10,00 (meia entrada), R$60,00 (mesa para 4 pessoas) e R$90,00 (mesa para 6 pessoas).
Classificação: 16 anos. Bebidas alcoólicas serão comercializadas somente para maiores de 18 anos.