Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Performance “Indez” marca o encerramento da exposição As coisas quando não são mais elas

Em “Indez”, a artista busca caminhos para que o fechamento da mostra corresponda a uma abertura para um novo começo
Evento acontecerá no domingo (25), das 10h às 16h
Por Redação Feira Cultural

Na exposição “As coisas quando não são mais elas”, de Carolina Botura, princípio, meio e fim são sinônimos; a destruição, o desfacelamento e a explosão funcionam como chave de renascimento. Esse é, também, o mote da perfomance “Indez”, que a artista irá apresentar no Memoria Minas Gerais durante o encerramento da exposição “As coisas quando não são mais elas”. Com entrada gratuita, a apresentação acontece de 10h às 16h.

No evento, Carolina procura instaurar dobras no tempo e questionamentos não só acerca do destino das imagens e sua potência de devir, mas de nosso poder em remover ruínas, corpos e ressignificar a história e os espaços; construir novos acordos e relações com o passado, futuro e presente. Em sua relação com a forma, Carolina busca assentar a importância da criação sobre o trabalhar em si, a experimentação da consciência da presença nesse revolver e reinventar para resistir e re-existir.

Em “Indez”, a artista busca caminhos para que o fechamento da mostra corresponda a uma abertura e convida o público a viver o processo de entregar as obras a um novo começo. “Elas precisam sair de lá e ir para outro lugar, pois já não são mais elas; já não somos, morremos mudando. Nos retiramos, recolhemos. Aqui moravam os dinossauros, aqui já foi tudo silêncio, é imenso”, comenta a artista.

Botura diz que construía coisas quebradas, pedaços do pós-apocalipse como uma forma de viajar no tempo, de desconhecer sua linha. “Quando algo poderia estar acabando, na verdade acabava de começar. Como o piano que salvei à beira da morte numa calçada destinado ao lixo, como as pedras que recolhi da caçamba. De que forma volta a ser árvore, de que forma ainda pode ser montanha. A arte não pode ser apenas mais uma produtora de lixo; temos de estar atentos às sobras e consertar, concertar, libertar para vida nova”, diz Carolina.

As coisas quando não são mais elas se encerra no domingo, com performance de Carolina Botura © Divulgação

Serviço:
Performance “Indez” – Encerramento da mostra “As coisas quando não são mais elas”, de Carolina Botura
Data:
25/3 (domingo)
Horário: 10h às 16h
Local: Memorial Minas Gerais
Endereço: Praça da Liberdade, 640 – Savassi
Entrada gratuita