Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

“Existe vida fora da música?”

Em entrevista ao site Feira Cultural, o músico Luã Linhares relembra o começo da carreira e fala sobre suas duas bandas: Suspense e Nem Secos
Por Antônio Pedro de Souza

Luã Linhares é um jovem músico de Belo Horizonte. A juventude, porém, não impediu que o artista traga uma ampla experiência em seu currículo: ele está a frente da Suspense Band e integra o time da Nem Secos. De acordo com Luã, o estilo diferente das duas bandas acabou ajudando para conciliar os dois trabalhos.

Na última sexta-feira (26/01), sob as árvores dos jardins internos do Palácio das Artes, em Belo Horizonte, enquanto aguardava uma sessão do Cine Humberto Mauro, Luã conversou comigo sobre a Suspense, a Nem Secos e os projetos para 2018.

Profissionalmente, tudo começou em 2012. Filho do músico Carlos Linhares, Luã disse que a influência do pai foi fator decisivo para que ele seguisse a carreira: “desde pequeno eu via os instrumentos musicais pela casa. Meu pai tocava em uma banda chamada Arion e eles iam ensaiar lá. Aí, com 9 anos, eu já tinha um teclado…” Em 2012, Luã conta que Carlos o incentivou a tocar em um evento no Centro Cultural Nem Secos. Eles reuniram alguns músicos e fizeram a apresentação da banda que, no momento, levava apenas o nome Luã Linhares.

Cerca de dois anos e muitas ideias depois, a banda foi rebatizada, dando início à Suspense. A inspiração, claro, veio do gênero cinematográfico que Luã mais gosta. Perguntado sobre as referências musicais que influenciam a banda, o artista se diz  “uma esponja. Ouço de tudo e acabo pegando um pouco de cada coisa e trazendo pra Suspense. Dos clássicos à Katy Perry, que gosto demais. Como toquei por muitos anos em uma igreja evangélica, peguei um pouco do estilo gospel também.”

A miscelânea de ritmos que acaba caindo sobre a Suspense ajuda a separá-la dos trabalhos da Nem Secos. De acordo com Luã: “até agora não tivemos problemas entre as duas bandas. A Nem Secos é mais nacional. Eu, por exemplo, já tenho mais facilidade em compor em inglês. Então, nunca aconteceu, por exemplo, de estar compondo uma música e pensar: ‘essa ficaria melhor na Suspense ou na Nem Secos?’.”

Além de dividir o tempo entre as duas bandas, Luã também estudou artes visuais na UFMG. Perguntado sobre os hobbies quando não está tocando ou compondo, o músico brinca: “E existe vida fora da música?” Entre risos, ele diz que gosta bastante de cinema, principalmente terror e suspense, mas que a maioria dos hobbies acaba direta ou indiretamente, indo parar no campo da música.

Um exemplo que podemos constatar é o da música Stranger Things, que Luã compôs após assistir à primeira temporada da série da Netflix. A música ganhou clipe e estará presente no EP.

Ao avaliar o cenário musical brasileiro, Luã disse que “Há muita coisa boa misturada nos produtos vazios que vemos e ouvimos diariamente. É preciso saber garimpar e acessar esses bons artistas.” Em relação à política, ele recomenda que procuremos boas causas e não partidos e políticos em particular.

A banda Nem Secos apresenta um viés político bem acentuado, participando de protestos e movimentos populares, como o que aconteceu em defesa da liberdade artística em outubro do ano passado no Centro de Belo Horizonte. Já a Suspense é mais neutra em relação a isso, embora algumas músicas toquem em problemas sociais.

E se Luã acredita “não haver vida fora da música”, esse ano ele tem muito a comemorar: é que a banda Nem Secos foi selecionada para a final do Concurso de Marchinhas Mestre Jonas e a Suspense gravará, nas próximas semanas, o clipe da música Beautiful Excuses. A direção do clipe ficará ao cargo do cineasta Ivo Costa eu dirigiu os curtas de terror Sexta-Feira da Paixão e O Presente de Camila. Após o clipe, a banda volta sua energia para a finalização e lançamento do EP. E em abril os rapazes sobem ao palco do Camping Rock, festival musical que ocorrerá na Estância Veredas, em Araçaí.

Antes disso tudo, porém, Luã resolveu lançar mão do seu hobby e assistir ao filme “O Mundo em Perigo”, que estava em cartaz na mostra sobre Ficção Científica da década de 1950 no Cine Humberto Mauro na tarde em que essa entrevista foi feita. Afinal, com tantos compromissos neste primeiro semestre, vá saber quando o músico terá tempo de voltar ao cinema…

SAIBA MAIS:

            Suspense Band:

Formada pelos músicos Luã Linhares, que responde pelas composições, teclado, vocal e produção musical, Carlos Linhares (baixo), Nelson Simões (bateria) e Luciano Soares (guitarra e vocal), a banda conta com músicas autorais com letras em inglês, repletas de riffs de teclados, solos de guitarra e melodias marcantes. Em 2016 a banda lançou o clipe da música “Stranger Things”, inspirada na série da Netflix. Os músicos Luciano Soares, Nelson Simões e Carlos Linhares, são oriundos da banda de rock progressivo Arion, que em 2001 lançou um disco distribuído pelo selo francês Musea e abriu shows internacionais, inclusive da lendária banda holandesa Focus. Carlos e Luã também integram o time da banda Nem Secos.

LINKS:

Luã Linhares no “Bom Dia, Mundo!” de 31/01/2018: https://youtu.be/T-NekzfzBWc

Site: http://bandasuspense.com.br

Facebook: www.facebook.com/SuspenseBand

Canal no Youtube: https://www.youtube.com/c/SUSPENSEBand

Clip Stranger Things: www.youtube.com/watch?v=-ltC7hS7yZI

Suspense ao Vivo na A Autêntica: www.youtube.com/watch?v=LFzWixc0aJA