Widget Image
Widget Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim

Assine a nossa newsletter

[contact-form-7 404 "Not Found"]

“Explode Coração” estreia nesta segunda no canal Viva

Novela de Glória Perez foi ao ar originalmente entre 1995 e 1996
Por Antônio Pedro de Souza

Um marco da teledramaturgia na década de 1990 poderá ser revista, na íntegra, a partir desta segunda-feira, 29 de janeiro: Explode Coração, de Glória Perez é a nova aposta do Canal Viva (TV paga) para ocupar a faixa das 23h30 (com reprise no dia seguinte, às 13h30).

Exibida originalmente entre 1995 e 1996, a novela foi a primeira a ser inteiramente gravada nos Estúdios Globo (na época, Projac). A trama de Glória Perez substitui A Próxima Vítima e foi substituída por O Fim do Mundo, ambas já exibidas pelo Viva.

História

Seguindo os costumes do povo cigano, Dara foi prometida a Igor ainda criança, mas a moça não está feliz com a chegada de seu noivo e não se contenta com a vida destinada a ela. Dara quer ir além das tradições, mesmo contrariando os pais, Jairo (Paulo José) e Lola (Eliane Giardini). Escondida da família, ela faz cursinho pré-vestibular e sonha em ser independente.

Mesmo temendo ser descoberta e magoando os pais, a moça segue firme no seu propósito e acaba conhecendo, pela internet, o empresário Júlio Falcão (Edson Celulari). Apesar de ser casado com Vera (Maria Luisa Mendonça), Júlio se envolve com Dara e os dois precisam enfrentar todos os obstáculos que vão além do adultério.

Grávida de Júlio, e atendendo aos desejos de seus pais, Dara se vê obrigada a casar com Igor.

Além da trama principal que envolve a vida de Dara e as tradições dos ciganos, a novela apresenta mais uma história de amor entre Serginho (Rodrigo Santoro em seu primeiro grande papel na televisão) e Beth (Renée de Vielmond), 20 anos mais velha que o rapaz. Outro destaque da novela é o travesti Sarita Witt, vivido por Floriano Peixoto.

O olhar social

Como sempre em seus trabalhos, a autora levanta uma bandeira social. Desta vez, Glória falou sobre a exploração infantil e o desaparecimento de crianças. Unindo realidade e ficção, ela mostrou as Mães da Cinelândia e a personagem Odaísa (Isadora Ribeiro), que procurava o filho desaparecido. O resultado foi surpreendente: mais de 60 crianças foram encontradas graças à exibição de depoimentos de mães e fotos de seus filhos.